Casa usada para exploração sexual de menores no Parque Dez é desarticulada

Três pessoas foram presas, inclusive um cliente, durante a operação ‘Lupanar’, da Polícia Civil, na tarde desta sexta-feira (24)

Manaus – Uma casa de exploração sexual de menores foi desarticulada pela Polícia Civil, durante a operação ‘Lupanar’, deflagrada pela Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente. Sob a coordenação da delegada Joyce Coelho, a ação policial aconteceu na tarde desta sexta-feira, por volta das 16h, em uma residência situada na Rua 8, bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul de Manaus, e resultou na prisão de três pessoas em flagrante.

 

De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da especializada, as investigações tiveram início em novembro do ano passado, após a equipe de investigação receber inúmeras denúncias sobre uma residência que era usada para exploração sexual de crianças e adolescentes.

“A grande maioria era maior de idade, porém, no local, menores eram escondidos e funcionava 24 horas como uma casa de shows. Ao chegar ao local, constatamos o fato e encontramos duas adolescentes, de 14 e 16 anos de idade”, relatou a delegada.

Conforme Joyce, ao conversar com as duas meninas, foi identificado que havia mais uma adolescente de 16 anos no local, que no momento da abordagem policial estava sem documentação.

“A casa era comandada por duas mulheres, identificadas pela polícia como Deise Cristina Ferreira e Erika Pereira Fontenelle, de 30 e 31 anos, respectivamente. Elas tinham um livro de ponto, onde as infratoras registravam a frequência e as dívidas das garotas”, disse Joyce. As dívidas das meninas eram com relação a trabalho de manicure e até mesmo ao que as garotam tinham usado para se alimentar.

No local, a polícia apreendeu cartões fidelidade, que eram distribuídos para clientes, cerca de R$ 270 em espécie, duas máquinas de cartão de crédito, vários aparelhos celulares e débito e o livro de contabilidade do local.

Além de Deise e Erika, um corretor de imóveis identificado como Sebastião da Silva Barbosa também foi preso por exploração sexual. Ele era um dos clientes da casa.

blank

Duas adolescentes, de 14 e 16 anos, foram encontradas na casa durante a chegada da polícia (Foto: Reprodução)

As duas mulheres foram autuadas em flagrante por coordenar a casa de prostituição, por favorecimento de prostituição de adultos e favorecimento de prostituição de menores. Já o homem, foi autuado por exploração sexual de adolescentes.

Ao término dos procedimentos cabíveis, os três infratores foram conduzidos para audiência de custódia, no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, na zona sul.

Anúncio