‘Caso Flávio’: Advogados alegam dificuldades em ter acesso ao inquérito policial dos clientes

Na tarde desta sexta-feira (4), o PM Eliseu da Paz Souza prestou o seu segundo depoimento

Manaus – No fim da tarde desta sexta-feira (4), os advogados do sargento Eliseu da Paz Souza e de Mayc Vinícius Teixeira deram entrevista coletiva na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), alegando dificuldades em ter acesso ao inquérito policial dos clientes, além de confirmarem que ambos são amigos. Os dois são suspeitos de ter envolvimento na morte do engenheiro Flávio Rodrigues, 42, que foi encontrado morto na última segunda-feira (30), no bairro Tarumã, zona oeste da capital.

O engenheiro Flávio Rodrigues, 42, foi encontrado morto na última segunda-feira (30), no bairro Tarumã (Foto: Reprodução)

Segundo o advogado de Mayc Vinícius Texeira, Josimar Berçot, apesar de ter se entregado voluntariamente, o seu cliente não prestou depoimento nesta sexta-feira (4) e ainda foi encaminhado para passar o final de semana na Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (DERF), o que não condiz com o mandado de prisão.

“Ele (Mayc) entrou aqui (na DEHS) cedo, passou o dia à disposição e não prestou seu depoimento. Até agora não se sabe o motivo. Eu sei que teve delegados que falaram que ele foi ouvido, mas ele não foi. O delegado Paulo Martins e Orlando Amaral vieram até mim e falaram que meu cliente iria cumprir o pedido judicial na DERF, o que é totalmente imoral, já que o juiz plantonista decretou que ele fosse recolhido no 19° DIP”, disse o advogado.

“Não sei qual o objetivo de levarem ele para lá. Queria saber o motivo dele ir para a DERF, sem o apoio da família e também se terei acesso a ele. Eu não sei o que pode acontecer lá, se pode acontecer uma conversa informal, o que é ilegal. Ainda falaram que só na segunda-feira (7) que Mayc prestará o depoimento. Então, fica aqui a minha indagação”, completou Berçot.

Ainda segundo advogado de Mayc Vinícius Texeira, ele recebeu informações que estaria tendo ‘problemas’ nos interrogatórios e confirmou a presença de seu cliente, dentro do carro com o PM Eliseu da Paz Souza, na filmagem feita pelas câmeras do condomínio onde o crime aconteceu.

“Eu vou pedir para um juiz plantonista que seja filmado o depoimento do meu cliente, pois tive informações que há muitos problemas com os delegados que estão fazendo os interrogatórios. Eu não posso entrar em detalhes sobre o ocorrido porque meu cliente ainda não prestou depoimento. Mas posso confirmar que o Mayc estava no carro com o Eliseu, e é ele quem aparece no vídeo”, finalizou.

Segundo depoimento

Na tarde desta sexta-feira (4), o sargento Eliseu da Paz Souza prestou o segundo depoimento sobre o ‘Caso Flávio’. Segundo a advogada Catarina Estrela, Eliseu confirmou mais uma vez que era ele quem aparece no vídeo e que é amigo de Mayc, além de não ter acusado ninguém em seus depoimentos.

“Meu cliente deu um depoimento na quarta-feira e mais um hoje (sexta-feira) de quatro laudas. Falou tudo o que sabia na presença de dois advogados da vítima, dois de defesa e do perito. Quanto ao vídeo, ele confirmou que era ele, em nenhum momento foi dito o contrário. Esse foi o segundo depoimento dele, onde afirma que é amigo do Mayc e que o levou naquele dia. Meu cliente em nenhum momento acusou o Alejandro de algo ou contra os outros suspeitos do caso”, disse a advogada.

A advogada informou que ainda não teve acesso ao inquérito policial do sargento da Polícia Militar, nem ao laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Flávio Rodrigues.

“Eu até agora não tive acesso ao inquérito policial e nenhum laudo. Isso me deixa muito chateada, pois a defesa está sendo prejudicada por não ter acesso aos autos. Eu questionei o delgado sobre o laudo da vítima, perguntam sobre o corpo, mas não divulgam o horário que ele morreu”, questionou Estrela.

Anúncio
Anúncio