Detalhes da morte de engenheira são revelados durante coletiva de imprensa

Antes de deixar o corpo de Andréia Vasconcelos dentro de um carro no estacionamento do 28 de Agosto, Jeferson de Souza tentou jogar a vítima em uma área de mata no Tarumã

Manaus – Em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (10), o delegado titular Paulo Martins, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), revelou detalhes sobre a morte da engenheira Andréia Defavari Vasconcelos, 46. O suspeito de ser o autor do crime, Jeferson Borges de Souza, 34, foi preso na tarde de quinta-feira (9), em via pública no bairro Cidade Nova, zona norte da capital.

A engenheira Andréia Vasconcelos foi assassinada no último sábado (4) (Foto: Reprodução)

De acordo com delegado Martins, em depoimento o suspeito revelou que a engenheira emprestava dinheiro a juros e ele trabalhava na cobrança. Até que um dos clientes não estava quitando a dívida e Andréia começou a cobrar Jeferson por isso. Foi quando em um momento de fúria, Jeferson matou a vítima, na tarde do último sábado (4).

“Eles foram cobrar um suposto cliente e se encontraram na frente de um condomínio. Jeferson desceu da sua moto e adentrou no carro da vítima. Pelas imagens das câmeras de segurança, o carro começa a disparar o alarme, e neste momento acreditamos que ele estava enforcando a engenheira”, revelou.

blank

O delegado Paulo Martins, da DEHS, durante a entrevista coletiva da manhã desta sexta-feira (10) (Foto: Yago Frota/GDC)

“Andréia se debateu dentro do carro, na tentativa de se desvencilhar de Jeferson, mas ele estava no banco traseiro e aproveitou um cinto de pano que tinha no carro para enforcá-la e matá-la. Então, ele a empurrou para o banco traseiro e dirigiu o veículo da engenheira”, completou o delegado.

Ainda segundo Paulo Martins, Jeferson não foi logo em seguida para o Hospital e Pronto Socorro (HPS) 28 de Agosto, na zona centro-sul, onde o corpo da engenheira foi encontrado no estacionamento. Antes, ele dirigiu até o bairro Tarumã, zona oeste, no intuito de se desfazer do corpo da vítima em uma área de mata.

blank

O carro com o corpo da engenheira foi deixado no estacionamento do 28 de Agosto (Foto: Reprodução)

“Por algum motivo não revelado, Jeferson não conseguiu se desfazer do corpo pelo Tarumã, e resolveu então ir para o (HPS) 28 de Agosto. Chegando ao local, ele estacionou o veículo e, mais uma vez, foi para o banco traseiro, onde não revelou o que fez neste segundo momento, por não se lembrar. Depois, ele saiu, trancou o carro, jogou a chave fora, ainda próximo do hospital, e voltou de moto-táxi para onde tinha deixado sua moto no início do crime”, disse o delegado.

Jeferson Borges de Souza foi indiciado por homicídio e, ao término dos procedimentos cabíveis na DEHS, será levado para a audiência de custódia, no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, no bairro São Francisco, zona sul da cidade.

Anúncio