Dono de bar é acusado de mandar matar pessoas que davam problema no estabelecimento

Segundo a PC, o ex-policial militar ‘Max’, que era integrante de um grupo de extermínio que atuava na capital, era responsável pelos homicídios

Manaus – O comerciante Antônio Edcarlos de Oliveira, 43, conhecido como ‘Carlão’, foi preso acusado de ser mandante do homicídio do adolescente André da Silva Souza, de 15 anos, ocorrido na noite do dia 16 de novembro do ano passado, no bairro Santa Etelvina, zona norte da capital. Segundo a PC, Antônio é dono de um bar e as pessoas que dão problema no estabelecimento ou que afastam a sua clientela são ‘punidas’.

De acordo com o delegado Torquato Mozer, adjunto da Delegacia Especializada em Homicídio e Sequestros (DEHS), Antônio foi preso na última sexta-feira (28), na casa onde morava, localizada na Avenida Mulateiro, bairro Monte das Oliveiras, zona Norte. O mandado de prisão preventiva em nome do comerciante, com prazo de 30 dias, foi expedida no dia 21 de julho deste ano, pelo juiz Mauro Moraes Antony, da 3ª Vara do Tribunal do Júri.

Homem foi preso na casa onde morava, no bairro Monte das Oliveiras (Foto: Raquel Miranda)

O delegado explicou que, no dia do crime, a vítima estava acompanhada do primo dela no bar de propriedade de Antônio, no momento em que o comerciante e André começaram a discutir. Eles chegaram, inclusive, a incitar agressão física. Quando saíram do estabelecimento, André e o primo foram abordados por dois homens e um deles portava uma arma de fogo.

Conforme o delegado, André foi atingido com um tiro na cabeça, vindo a óbito no local, e o primo dele sofreu uma perfuração na mão esquerda. “Constatamos durante as investigações que a pessoa que efetuou os disparos em direção a André e ao primo dele foi o ex-policial militar do Amazonas Francisco Marques Reis, conhecido como ‘Max’, que era integrante de um grupo de extermínio que atuava na capital. ‘Max’ é investigado em seis procedimentos na DEHS”, disse Mozer.

O delegado informou, ainda, que Antônio também é apontado como mandante do homicídio de Francisco Guedes Benevides, ocorrido em novembro de 2013, após discussão também no bar do acusado. “Antônio é investigado como mandante do homicídio de Francisco. Ele contratou pessoas para executarem o crime”.

Torquato Mozer informou que o ex-policial militar está preso no Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) da Polícia Militar do Amazonas (PMAM). O delegado ressaltou que irá representar junto à Justiça a conversão do mandado de prisão temporária para prisão preventivas, a fim de que o processo em nome do comerciante transcorra normalmente.

Anúncio