Em canoa, trio percorre mil quilômetros para entregar 100 kg de drogas em Manaus

Saindo de Tabatinga, os três homens foram encontrados pela polícia nas proximidades de Iranduba. Eles contaram que já estavam há cinco dias navegando pelos rios

Manaus – Cerca de 100 quilos de drogas foram apreendidos, na noite desta segunda-feira (25), em uma embarcação, próximo ao município de Iranduba (a 27 quilômetros a sudoeste de Manaus), pela equipe de investigação do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc). A canoa de madeira era pilotada por um trio, composto por Aldemir da Silva dos Santos, 27; Francisco de Melo Felix, 54, e Moisés Souza Assis, 27.

Trio foi preso com cem quilos de drogas (Foto: Raquel Miranda)

Os policiais patrulhavam o Rio Solimões, que, segundo a Polícia Civil, é a principal via de acesso do tráfico de drogas oriundo da área de fronteira, com o objetivo de restringir a entrada de entorpecentes na capital, conforme o diretor da Denarc, o delegado Paulo Mavignier. Os policiais seguiam rotina quando avistaram uma canoa de madeira nas, proximidades do município de Iranduba.

“Avistamos uma canoa fora dos padrões do Amazonas, de estilo colombiano. Ao abordá-la, verificamos que nela havia um isopor grande, com gelo, sobre o qual havia alguns peixes. Os homens disseram que estavam pescando no local. Mas, ao tirarmos o gelo, constatamos que havia três pacotes de maconha, do tipo skunk, no isopor”, disse o delegado Mavignier.

Ainda conforme o delegado, o trio, em entrevista, revelou que veio de Tabatinga (a 1.108 quilômetros a oeste de Manaus) e que a viagem já contava cinco dias. Os policiais também constaram a existência de drogas em um fundo falso da canoa. “Conseguimos removê-la para o porto de Iranduba e, ao quebrá-la, extraímos 87 tabletes de entorpecentes, cocaína e maconha do tipo skunk, que encontramos no fundo dessa embarcação”, relatou Mavignier.

Os três indivíduos afirmaram que navegaram durante o dia, com medo de piratas, com o objetivo de entregar essas drogas em Manaus, conforme o delegado. Eles iam receber, cada um, a quantia de R$ 5 mil pelo serviço. “Não constatamos a posse de armas, mas é possível que eles as tenham jogado no rio no momento da apreensão, já que estava muito escuro no momento em que os abordamos. Mas o que importa é que a abordagem foi feita em total segurança”, contou.

Durante depoimento, os criminosos confessaram que um homem, ainda não identificado, entregou as drogas a eles no município de Tabatinga. “Possivelmente essa droga seria distribuída nas zonas da cidade, e, com certeza, ela estava sendo aguardada pelo pessoal do crime organizado”, disse o delegado.

Os criminosos passarão por audiência de custódia no Fórum Henoch Reis, zona sul de Manaus. Moisés Souza Assis confirmou que as drogas não eram do trio, e que eles as transportavam a mando de outra pessoa.