Em Humaitá, marido faz corte profundo na garganta de professora, diz polícia

Policiais da cidade contaram que o homem tentou simular um assalto, para despistar a polícia. A vítima foi levada, em estado grave, para Porto Velho

Manaus – A professora Elizete Ferraz Lopes, que atua na educação infantil, teve a garganta cortada pelo próprio marido, na tarde desse sábado (1º), em Humaitá (a 590 quilômetros a sudoeste de Manaus). Mesmo com um corte profundo na garganta, a vítima conseguiu fotografar o ferimento e enviar a imagem, por um aplicativo de celular, para uma amiga, e pedir ajuda, conforme informações dos policiais militares do 4º Batalhão da Polícia Militar (BPM). O marido da vítima é suspeito do crime.

O caso aconteceu na cidade de Humaitá (Foto: Divulgação/PM)

Após tentar matar a mulher, o homem, identificado apenas como ‘Davi’, tentou forjar um assalto, mas foi detido pela polícia, conforme informações dos policiais do 4º BPM. O crime aconteceu por volta das 14h de sábado, na casa onde a professora morava com o marido, na Rua Princesa Isabel, bairro Nova Esperança.

Segundo policiais do 4º BPM, uma equipe comandada pelo sargento Passos Moraes foi à casa para atender a uma ocorrência de roubo, mas após recolher os aparelhos celulares da professora e do marido dela, a polícia conseguiu visualizar a foto e a mensagem que a professora tinha enviado para a amiga, em que a vítima relata que o companheiro tinha cortado o pescoço dela.

A mulher foi levada para o hospital de Humaitá, mas foi transferida em estado grave, para Porto Velho (RO).
Segundo os policiais, o suspeito foi preso nas proximidades da unidade de saúde e levado para a 8ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) do município, onde foi autuado, em flagrante, pelos crimes de tentativa de homicídio e lesão corporal grave.