Estagiário que cobrava até R$ 500 para dar ‘sumiço’ em processos na Eletrobras é preso

Universitário de Direito Carlos Allan Amorim de Carvalho, 21, foi preso por corrupção passiva. Ele entrava em contato com os clientes por meio do WhatsApp e exigia dinheiro para que extinguisse processos existentes junto a empresa concessionária, diz a polícia

Carla Albuquerque/ [email protected]

Carlos trabalhava no setor de combate a fraudes da concessionário (Foto: Carla Albuquerque)

Manaus – O universitário de Direito Carlos Allan Amorim de Carvalho, 21, foi preso por corrupção passiva, nesta segunda-feira (12), por policiais da Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS).

De acordo com o delegado Felipe Vasconcelos, o universitário, que atuava como estagiário do setor de combate a fraudes da Eletrobras Amazonas Energia, cobrava entre R$ 70 a R$ 500 de clientes para dar ‘sumiço’ em processos.

Carlos foi preso em flagrante, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão, nesta segunda-feira, no local onde trabalhava, na Ephigênio Sales, zona centro-sul de Manaus. Na casa dele, no Bairro da Paz, segundo o delegado, foram apreendidos processos de vários clientes.

A polícia explicou que Carlos entrava em contato com os clientes por meio do aplicativo WhatsApp e exigia dinheiro para que extinguisse processos existentes junto a empresa concessionária.

Anúncio