Homem afirma ter recebido ‘ordem superior’ da FDN para matar, no Centro de Manaus

Segundo a polícia, um dos motivos para o crime seria porque a vítima, que era do Comando Vermelho (CV), estava prometendo matar membros da FDN

Manaus – Maielon Fran de Souza Ribeiro, 18, conhecido como ‘Palhaço’, foi preso na tarde da última sexta-feira (9), na Rua Lobo D’Almada, no Centro da cidade, suspeito de ter matado Edivan Souza de Oliveira, 35, conhecido como ‘Sapinho’.

O crime teria acontecido no dia 29 de outubro deste ano, na Rua Simão Bolívar. Na ocasião, Edivan estava sentado em um bar, quando foi abordado por uma dupla em uma motocicleta, segundo a Polícia Civil (PC). Maielon estava na garupa e efetuou vários disparos em direção à vítima, que morreu no local.

À polícia, Maielon disse ser um soldado da FDN. (Foto: Sandro Pereira/RDC)

Segundo o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Orlando Amaral, Maielon afirmou ter recebido “ordem superior” vinda da facção criminosa Família do Norte (FDN), da qual ele afirma participar. Um dos motivos para o crime seria porque a vítima, que era do Comando Vermelho (CV), estava prometendo matar membros da FDN.

“Ele (Maielon) diz que não conhece o motoqueiro. Segundo ele, o mesmo foi responsável por levá-lo ao crime e indicar a vítima”, disse Amaral.

Perguntado se Maielon teria recebido algum tipo de pagamento para executar o crime, Amaral afirmou que o autor disse ser um soldado da FDN. “Então, essa é uma missão que ele recebe e, segundo ele, tem que ser cumprida”, acrescentou o delegado, que afirmou, ainda, que a ordem não veio de dentro de alguma unidade prisional.

Segundo Amaral, as investigações em torno do caso seguem com o objetivo de identificar e prender o motoqueiro que auxiliou no crime. Ainda segundo o delegado, Maielon já teria passagem pela Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai).

“Ele já tem algumas passagens pela delegacia de menores, mas não tem nada no TJ (Tribunal de Justiça) porque agora que ele tem 18 anos. Mas, assim, pelo que ele fala, a frieza com que ele contou como matou essa vítima, eu acredito até que ele já possa ter cometido outros homicídios que ainda não foram identificados”, ressaltou Amaral.

Maielon foi indiciado por homicídio qualificado e será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde permanecerá à disposição da Justiça.