Homem desmente versão de suicídio e confessa que matou empresária por ciúmes, diz PC

Ivan Rodrigues das Chagas, 48, é suspeito de matar a companheira dele, a empresária Jerusa Helena Torres Nakamine. Logo após o crime, ele afirmou que a mulher tinha cometido suicídio

Manaus – A polícia prendeu Ivan Rodrigues das Chagas, 48, suspeito de matar a companheira dele, a empresária Jerusa Helena Torres Nakamine que tinha de 51 anos. Logo após o crime, o homem afirmou, à polícia, que a mulher tinha cometido suicídio. A polícia suspeita que o crime seja passional e motivado por ciúmes. O homem foi apresentado, na tarde desta quinta-feira (14), à imprensa.

Homem desmente versão de suicídio e confessa que matou empresária, em Manaus. (Foto: Eraldo Lopes)

O crime aconteceu na madrugada do dia 12 de abril na casa onde o casal morava no Conjunto Campos Elíseos, bairro Planalto, zona oeste de Manaus. A prisão aconteceu em cumprimento a mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado em um posto de combustíveis na Avenida Autaz Mirim, bairro Jorge Teixeira, zona leste da capital. De acordo com o delegado Jeff Mac Donald, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na última segunda-feira (12), Ivan compareceu espontaneamente à delegacia e confessou o assassinato.

Segundo a PC, ele afirmou que matou a mulher por ciúmes. “A versão de Ivan é que ela passou a se arrumar mais, mas não queria mais se relacionar com ele”, disse o delegado, acrescentando que o homem tinha suspeita de que a mulher tinha um relacionamento extra-conjugal. No entanto, familiares da vítima acompanharam a entrevista coletiva à imprensa e gritaram apontando que Ivan é quem traía a companheira.

“Eu te falei que era pra você sair do celular e cuidar do casamento”, gritou uma sobrinha de Jerusa, de nome não divulgado. O casal tinha um relacionamento de 20 anos. No dia do crime, segundo a polícia, Ivan havia alegado que Jerusa tinha cometido suicídio. Entretanto, o laudo do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) constatou que era um homicídio. Foram, pelo menos, cinco cortes no pescoço da mulher.

No dia 15 de abril, três dias após o crime, Ivan prestou depoimento na DEHS e disse que tinha saído para caminhar e encontrou a mulher morta quando retornou a casa. Após o laudo do IML, o mandado de prisão preventiva foi expedido pelo juiz de Direito Anésio Pinheiro, da 2ª Vara do Tribunal do Júri. O homem será levado ao Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM), na zona rural da capital, e vai responder por homicídio.

** Matéria atualizada às 16h09 para acréscimo de informações.

Anúncio