Homem é assassinado a facadas por vizinho no bairro Cidade de Deus

Segundo testemunha, um Boletim de Ocorrência feito pela vítima contra o vizinho, que o roubava constantemente, motivou o crime

Manaus – Carlos Cezar Machado Ferreira, 49, foi assassinado, na tarde desta terça-feira (17), na casa onde morava, localizada na Rua São Bernardo, no bairro Cidade de Deus, zona norte de Manaus. De acordo com informações policiais, a vítima foi morta com quatro golpes de faca.

O crime aconteceu por volta das 17h. De acordo com policiais militares da 3ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), a casa onde o crime aconteceu estava “completamente revirada” e conhecidos sentiram falta de pertences da vítima.

De acordo com a polícia, Carlos foi assassinado com quatro facadas (Foto: Layena Magalhães/Divulgação)

Segundo uma testemunha, que não quis se identificar, câmaras de segurança registraram o momento em que o autor do crime, vizinho da vítima, invadiu a casa. “A motivação do crime foi um Boletim de Ocorrência feito por Carlos contra o vizinho, que roubava constantemente as lâmpadas da vítima”, contou a testemunha.

Ainda conforme a testemunha, Carlos era morador antigo da região e amigável. Ele era homossexual e tinha terminado um relacionamento amoroso há cerca de um ano. A testemunha contou, ainda, que Carlos sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) recentemente, e que um amigo ia buscá-lo todos os dias para ir à uma academia na região.

“O amigo ligou várias vezes e não conseguiu resposta. Foi então que fomos verificar as câmeras de segurança e reconhecemos o autor do crime. Desesperado, o amigo foi até a casa da vítima e quebrou a porta da frente. Ao entrar, encontrou Carlos morto, com golpes de faca no coração, no pescoço, em uma das costelas e nas costas”, relatou a testemunha.

“Eu liguei para a mãe da pessoa que matou o Carlos e ela me informou que o filho já tinha ligado para ela confessando o crime e que, inclusive, já estava foragido”, informou a testemunha.

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros ( DEHS) investiga o caso.