Homem é executado com 11 tiros, no bairro Petrópolis

Jefferson Michel Vieira Figueiredo tentou fugir da perseguição dos autores do crime escondendo-se embaixo de uma casa de madeira

Manaus – O empresário Jefferson Michel Vieira Figueiredo, 29, natural do Acre, foi executado com 11 tiros na tarde desta segunda-feira (20), no bairro Petrópolis, zona sul de Manaus. Segundo familiares, que não quiseram se identificar, a vítima era dona de uma loja de sapatos e morava no bairro Crespo, também na zona sul.

Três homens participaram do crime, mas a polícia não descarta a possibilidade de haver outros envolvidos (Foto: Layena Magalhães/Divulgação)

Policiais da 3ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram acionados por volta das 15h para atender a ocorrência, por meio do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops). De acordo com o tenente G. Santos, da unidade policial, a vítima foi sequestrada para ser executada na zona sul da capital. Ele afirmou ainda que Jefferson já tinha passagem pela polícia e envolvimento com o tráfico de drogas.

De acordo com o delegado Fábio Costa, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), três homens participaram do crime, mas não descarta a possibilidade de haver outros envolvidos na ação.

Um carro, de placa e modelo não identificados, levou a vítima até o local da execução. Jefferson foi perseguido, então, pelos autores do crime e, ao perceber a ação dos suspeitos, na tentativa de salvar a própria vida, ele tentou fugir, entrou em um beco e se escondeu embaixo de uma casa de madeira. Logo em seguida, foi capturado e morto com 11 tiros por todo o corpo.

 

“Uma situação de terror, em um local onde tem muitas crianças, que poderiam ter sido atingidas por uma bala perdida”, observou o delegado. Jefferson havia saído de casa em sua moto, que até o momento não foi encontrada.

Moradores que pediram para não ser identificados relataram à reportagem que, no momento da ação, reconheceram um dos integrantes, suspeito de participar do crime, que seria conhecido na região onde o homicídio aconteceu como ‘Espanta’.

O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para realizar a remoção do corpo. A polícia segue investigando o caso até encontrar os autores do crime.

Anúncio