Homem é preso em fórum, na capital, suspeito de homicídio

Carlos Alberto Garcia Neto é apontado como autor da morte de Rogério de Lima Franco. O assassinato seria por disputa de ponto de venda de drogas

Manaus – Carlos Alberto Garcia Neto, 19, foi preso, na manhã desta quinta-feira (11), nas dependências do Fórum Henoch Reis, bairro São Francisco, zona sul da cidade, em cumprimento ao mandado de prisão preventiva por homicídio. Ele é apontado pela Polícia Civil (PC) como um dos autores da morte de Rogério de Lima Franco, 23 anos.

Segundo o delegado titular do 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Fábio Aly, o crime aconteceu no dia 21 de junho de 2018, na Comunidade do Bananal, bairro Nova Cidade, zona norte de Manaus. Carlos Alberto teria cometido o crime com a ajuda de Rafael Albano Santos Silva, que está sendo procurado pela polícia.

“Temos várias testemunhas que confirmaram a situação. Com base nisso, nós conseguimos identificá-lo. Eles mataram a vítima a pauladas. Fizeram uma emboscada, chamaram a vítima para comprar drogas”, contou o delegado.

Conforme o delegado, a motivação do crime foi por disputa de ponto de venda de drogas. A vítima estava vendendo drogas para um traficante rival, identificado como ‘Jaques’, que também foi morto.

Carlos Alberto Garcia Neto, 19, foi preso, na manhã desta quinta-feira (11), no Fórum Henoch Reis (Foto: Raquel Miranda)

No dia do crime, a dupla suspeita teria pedido para outra pessoa convidar a vítima para ir até um ponto de vendas de drogas, para consumo próprio, quando ele foi atacado a pauladas. Rogério estava acompanhado de um adolescente de 17 anos.

À polícia, Carlos Alberto contou que o corpo da vítima foi transportado em um carro, para um local que ele não soube informar. Porém, segundo relatos de testemunhas presenciais, o corpo de Rogério foi enterrado na própria comunidade. Apesar de a polícia já ter realizado buscas pelo local, até hoje, o corpo não foi encontrado.

Carlos já respondia por tráfico de drogas. Agora, ele foi indiciado por homicídio e será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde permanecerá à disposição da Justiça.