Homem é preso por extorquir mulher para não divulgar fotos e vídeos íntimos

Marcos Aurélio Chagas Viana, 53, e a vítima, que mora no Ceará, mantinham um relacionamento amoroso virtual. Ele pediu dinheiro em troca de não divulgar imagens íntimas dela

Manaus – Marcos Aurélio Chagas Viana, 53, foi preso, na tarde da última sexta-feira (8), na Rua Canário, bairro Cidade de Deus, zona norte de Manaus, após ser denunciado por uma mulher de 43 anos, que mora em Uruoca (CE), com quem mantinha um relacionamento amoroso virtual. Ele pediu dinheiro em troca de não divulgar imagens íntimas dela.

Marcos Aurélio pediu dinheiro da vítima em troca de não divulgar imagens íntimas dela. (Foto: Eraldo Lopes/GDC)

O delegado titular do 26º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Bruno Fraga, afirmou que Marcos vinha mantendo um relacionamento com a vítima há, aproximadamente, três meses. Eles se conheceram no Facebook e, após ganhar a confiança da mulher e trocar fotos íntimas, ele passou a exigir da vítima o pagamento de R$ 2 mil para não divulgar fotos e vídeos íntimos dela, na internet.

“Ela chegou a efetuar um depósito que, segundo ele, já foi usufruído. Ele ficou satisfeito com essa conduta e, a partir de então, continuou a extorqui-la, exigindo mais depósitos. Mas, antes que ela fizesse esses pagamentos, a polícia conseguiu capturá-lo”, disse.

Após ser denunciado, a Polícia Civil (PC) de Uruoca entrou em contato com o 26º DIP, em Manaus, informando a existência do mandado de prisão em nome de Marcos e que ele residia no bairro Santa Etelvina, zona norte da capital. Segundo a PC do Amazonas, foram realizadas as diligências em torno do caso e foi constatado que o suspeito estava morando no endereço onde foi preso.

“As investigações vão continuar para que possamos verificar a existência de outras vítimas. Ele já teve uma passagem pelo interior, nessa cidade de Uruoca, mas não teve contato com essa vítima”, acrescentou o delegado.

Marcos foi indiciado por extorsão e será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM). Fraga explicou ainda que aguardará os trâmites judiciais entre os dois estados para saber onde o suspeito responderá pelo crime.