Homem é preso por tentar matar a ex-sogra

Motivação do crime seria a recusa do agressor em aceitar o término do relacionamento com a filha da vítima

Manaus – Na manhã desta segunda-feira (18), Gerry Cardoso Aguiar, 37, foi preso pela Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM) por agredir e tentar matar Fortunata Gomes da Silva, 52, mãe de sua ex-companheira. O homem foi preso na casa da mãe dele, bairro Jorge Teixeira, na zona leste de Manaus, e segundo a delegada da DECCM, Acácia Pacheco, ele vai responder pelo crime de feminicídio.

O crime aconteceu no dia 6 de maio, por volta das 15h, na Travessa da Paz, na Comunidade da Fé 1, bairro Colônia Antônio Aleixo, na zona leste da capital.

O agressor foi preso por uma equipe da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (Foto: Divulgação)

Segundo a DECCM, a ex-companheira de Gerry, que é filha de Fortunata, foi a primeira a ser ouvida, e relatou que o homem era agressivo e usuário de drogas, por isso ela estava terminando o relacionamento. Em depoimento, Gerry relatou que o casal nunca terminou o relacionamento. Eles estavam morando juntos, mas tiveram problemas para pagar o aluguel e iriam se mudar para outro lugar.

No dia do crime, quando Gerry já estava na casa da ex-sogra, ele ligou para a ex-companheira e avisou que estava na casa de Fortunata, e ameaçou, dizendo que a ex teria uma triste notícia. Antes da agressão, Gerry pediu para comer e Fortunata então o serviu. Em seguida, pediu para que ele fosse embora, porque o marido estava chegando. Gerry ficou com raiva, pegou um pedaço de madeira e desferiu os golpes contra a vítima, além de golpes de faca.

O Boletim de Ocorrência (BO) relata que o marido de Fortunata chegou em casa e encontrou sua esposa caída no chão, ensanguentada, com a cabeça e o nariz fraturados, e a levou para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto. A filha da vítima só teve contato com a família às 21h desse dia, quando recebeu a notícia que a mãe estava no hospital.

“Chegamos a ouvir a vítima, ela fez corpo de delito, juntamos fotos dela e entramos com o pedido de prisão. A Justiça foi rápida, emitiu o pedido e a equipe de investigação conseguiu localizar Gerry”, explicou a delegada.

Segundo Acácia Pacheco, Gerry não expressou nenhuma reação quando foi preso, e não demonstra arrependimento.