Homem é preso suspeito de matar companheira, no Planalto

À polícia, Bruno Henrique Silva, de 32 anos, disse que não lembra do ocorrido, e que faz uso de calmante. Familiares e amigos da vítima na acreditam na versão para o esquecimento

Manaus – Bruno Henrique Silva, 32, foi preso suspeito de matar a companheira, Thainara Barbosa da Silva, de 23 anos, na madrugada de segunda-feira (1º), na casa onde moravam, na Rua Felismino de Cabral Vasconcelos, bairro Planalto, zona centro-oeste da capital.

De acordo com o delegado do 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Danilo Bacarin, durante as diligências em torno do caso, foi constatado que Bruno executou o crime, o que levou o titular da unidade policial a representar o pedido de prisão junto à Justiça. Após a expedição do mandado de prisão, o suspeito compareceu ao 10º DIP para confessar a autoria do crime e, na ocasião, acabou preso.

Bruno Henrique Silva, 32, foi preso suspeito de matar a companheira, Thainara Barbosa da Silva, de 23 anos (Foto: Pablo Medeiros)

Bruno chegou à unidade policial por volta das 20h45 de terça-feira (2), acompanhado pelo advogado, que não teve o nome informado, e relatou não lembrar do ocorrido. “Vale ressaltar que Bruno chegou calmo à delegacia e alegou não lembrar de nada, somente que estava jogando videogame há dias. Ele também contou que tomava um medicamento por nome Rivotril, mas não soube explicar o motivo para o consumo deste”, informou o delegado.

Familiares e amigos estavam presentes na delegacia durante a apresentação de Bruno e não acreditaram na versão para o esquecimento. “Como ele pode dizer que esqueceu, se para fugir da casa ele lembrou de levar todos os documentos e o cartão da minha prima? Ele teve ajuda e essa história de esquecimento nós não acreditamos. Queremos Justiça!”, disse o primo da vítima, identificado como Jorge Barbosa.

Bruno Henrique foi indiciado por feminicídio, e ao término dos procedimentos cabíveis no 10º DIP ele será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde ficará à disposição da Justiça.

 

Texto: Vanessa Oliveira

Imagens: Pablo Medeiros

Anúncio