Homem é preso suspeito de matar mulher e ocultar corpo, na Comunidade Fazendinha

De acordo com a Polícia Civil, Fernando Bezerra de Souza Bentes, 20, praticou o crime juntamente com outras duas pessoas. Crime aconteceu em 31 de julho de 2017

Manaus – O ajudante de pedreiro Fernando Bezerra de Souza Bentes, 20, foi preso, na segunda-feira (3), suspeito de torturar e matar a pauladas, além de enterrar e desenterrar o corpo de Mirelle dos Santos Carvalho, que tinha 20 anos. A mulher também teve o couro cabeludo arrancado (escalpelamento) e o corpo foi encontrado carbonizado dentro de uma lixeira. O crime aconteceu em 31 de julho de 2017, no Conjunto Canaranas, bairro Cidade Nova, zona norte de Manaus.

Ajudante de pedreiro foi indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. (Foto: Yago Frota/Divulgação)

De acordo com o delegado Jeff Mac Donald, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Mirelle tinha saído da casa dela para ir até uma ‘boca de fumo’ na Comunidade Fazendinha, também no bairro Cidade Nova, que é comandada por uma mulher identificada como Libian Fabrinne Barauna Veras, conhecida como ‘Mana’, presa no dia 21 de dezembro de 2017, por envolvimento no crime.

Segundo o delegado, Libian comandava o ponto de venda de drogas. Quando foi presa, ela disse que tinha discutido com Mirelle, devido a vítima ter publicado, em uma rede social, uma fotografia com uma adolescente, de 16 anos, ostentando uma arma de fogo que era usada por traficantes daquela “boca de fumo”.

No entanto, segundo o delegado, Mirelle era usuária de drogas e estava devendo dinheiro à traficante que ordenou que Fernando e Adriano a matassem. “Deram um mata-leão e ela morreu”, disse Jeff.

De acordo com a equipe da DEHS, o crime foi praticado por Libian e dois homens, sendo Fernando e Adriano Penedo da Silva, 23, que está sendo procurado pelos policiais civis. Conforme a DEHS, o trio torturou a jovem e a agrediu com pauladas. A mulher teve o couro cabeludo arrancado. Após matá-la, segundo a DEHS, enterraram o corpo de Mirelle, mas o desenterraram com medo de o corpo ser encontrado. “Eles sentiram o odor e ficaram com medo. Então desenterraram e queimaram o corpo”, afirmou Mac Donald. O cadáver foi encontrado carbonizado dentro de uma lixeira no Fazendinha.

Fernando foi indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Ele será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM). O mandado de prisão preventiva, por homicídio qualificado, foi expedido em 28 de setembro de 2017 pela juíza de Direito Andréa Jane Silva de Medeiros, no Plantão Criminal.