Indivíduo é preso suspeito de roubar arma de PM para vender ao tráfico

O roubo aconteceu no dia 4 de março deste ano, em um mercadinho, no bairro Tarumã, zona oeste da capital, enquanto a vítima fazia compras

Manaus – Felipe Rodrigues Corrêa, 34, foi preso suspeito de roubar a arma de um policial militar enquanto a vítima fazia compras, segundo o delegado Paulo Benelli. A prisão ocorreu, na tarde desta terça-feira (16), na Rua Marechal Deodoro, bairro Centro, zona sul da capital. Investigado por outros roubos, o homem vendia as armas roubadas a traficantes, ainda conforme Benelli.

O delegado do 20° Distrito Integrado de Polícia (DIP), disse que o roubo contra o policial militar ocorreu, no dia 4 de março deste ano, em um mercadinho, no bairro Tarumã, zona oeste de Manaus. Na ocasião, o suspeito abordou o policial, que estava fazendo compras e roubou uma pistola PT 100.

Felipe Rodrigues Corrêa foi preso suspeito de roubar uma PT 100 de um policial militar, em março (Foto: Raquel Miranda)

Benelli afirmou, ainda, que o suspeito vendia as armas que roubava para traficantes. “Ele é membro de uma facção criminosa e vendia as armas que roubava para traficantes e membros do grupo criminoso ao qual pertence”, disse.

Durante coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira (17), no 19° Distrito Integrado de Polícia (DIP), Felipe fez um gesto, formando um ‘L’ com a mão, na frente das câmeras. O preso não respondeu às perguntas feitas a ele. O suspeito é investigado por outros três crimes.

Em fevereiro deste ano, Felipe roubou o revólver, de calibre 38, de um vigilante, no bairro Centro, zona sul da capital. No dia 10 de abril, o preso roubou um revólver, de mesmo calibre, do vigilante de um supermercado, no bairro Compensa, na zona oeste de Manaus. O terceiro crime foi de latrocínio, ocorrido em via pública, no bairro Cidade Nova, zona norte, na segunda-feira (15).

Benelli informou, também, que as equipes de investigação descobriram, no decorrer da apuração do caso, que Felipe é condenado a 30 anos em regime fechado, por três roubos majorados e dois furtos, tendo sido enviado ao regime semiaberto, onde estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica, em 2018. “Nessa época, ele rompeu a tornozeleira e voltou a cometer delitos. Nós ainda estamos investigando a possibilidade de Felipe ter cometido roubos a outras vítimas”, disse o delegado.

Apreensão e encaminhamento

Benelli afirmou, ainda, que, após a prisão de Felipe, o suspeito confessou que guardava na casa dele a arma que roubou de um vigilante do Centro, em fevereiro deste ano. Ao se dirigirem ao local, no Conjunto Viver Melhor, bairro Lago Azul, zona norte, as equipes de investigação apreenderam o revólver de calibre 38, além de três munições.

Após ser conduzido ao 20° DIP, Felipe foi indiciado por roubo majorado e posse irregular de arma de fogo de uso permitido. Ele será levado à audiência de custódia no Fórum Henoch Reis. Depois de lá, será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), devido ao mandado expedido no nome dele.