Investigado por torturar e manter jovem de 13 anos em cárcere privado é preso

A vítima, que era ex-companheira do infrator, ficou presa na casa dele por cinco dias

Manaus – Investigado por ter torturado, mantido em cárcere privado e mantido relações sexuais com sua ex-companheira, uma adolescente de 13 anos, Fabrício Borges Ferreira, de 22 anos, foi preso na tarde de terça-feira (14). Os crimes ocorreram no início deste mês, na casa do infrator, em um residencial do bairro Lago Azul, na zona norte de Manaus. O mandado de prisão preventiva em nome dele foi cumprido pela equipe de investigação da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

O infrator foi indiciado por estupro de vulnerável, tortura e cárcere privado (Foto: Divulgação/PC-AM)

A prisão, sob o comando da delegada-geral Emília Ferraz e coordenação da delegada Joyce Coelho, titular da Especializada, ocorreu nas proximidades do lava-jato onde o infrator trabalhava, perto da casa dele. Segundo os desdobramentos das investigações, o caso teve início no dia 1º de abril deste ano, quando a irmã de Fabrício havia marcado um encontro para conversar com a vítima, que estava separada do jovem há cerca de um mês. No entanto, ao chegar ao local combinado, a vítima se deparou com o ex-companheiro.

“Assim que avistou a adolescente, o infrator tratou de levá-la para a casa dele. Vale ressaltar que, ainda em via púbica, a vítima foi agredida pelo infrator com socos, chutes, além de golpes de cabo de vassoura e de perna-manca. Já dentro da casa, onde a adolescente ficou presa por cinco dias, Fabrício visualizou as mensagens do celular da vítima, e voltou a agredi-la, inclusive desferindo facadas nos braços e pernas, que ocasionaram pequenas perfurações”, explicou a delegada Joyce.

Segundo a titular da Depca, a adolescente só conseguiu fugir do local após a mãe do infrator chegar de viagem, o que ocorreu no dia 5 de abril. Na ocasião, ao constatar que a vítima estava muito machucada e sendo mantida em cárcere privado, a mãe de Fabrício deu dinheiro à adolescente e pediu que ela fugisse daquela casa.

Ainda segundo Joyce, a denúncia foi formalizada já no dia seguinte, na sede da Depca. “Depois de realizarmos todos os procedimentos de diligências em torno do caso, e constatarmos a materialidade que indica que os crimes, de fato, foram cometidos, nós ingressamos com o pedido de prisão em nome de Fabrício, que foi expedido no dia 8 de abril de 2020, pelo juiz George Hamilton Lins Barroso, do Plantão Criminal”, afirmou a delegada Joyce.

Procedimentos

O infrator foi indiciado por estupro de vulnerável, tortura e cárcere privado. Após os trâmites cabíveis, ele permanecerá custodiado na carceragem da delegacia, e ficará à disposição da Justiça.