Irmãos são assassinados a tiros no bairro São José, em Manaus

Leandro Vilaça de Oliveira, 17, conhecido como “de menor”, e Luan Ferreira de Oliveira, 19, foram mortos a tiros na noite de quarta-feira (12). De acordo com a polícia, motivo da execução seria uma dívida por conta de uma réplica de arma de fogo

Luan Ferreira de Oliveira,19,foi baleado ao ser confundido com o irmão, de 17 anos (Foto: Raquel Miranda)

Manaus – Dois irmãos foram assassinados na noite desta quarta-feira (12), no bairro São José, na zona leste de Manaus. Segundo amigos de uma das vítimas, Leandro Vilaça de Oliveira, 17, conhecido como ‘de menor’, devia uma réplica de uma arma a um criminoso identificado somente como Marcelo, e devido à dívida estava sendo ameaçado de morte. O irmão de Leandro que estava ao lado dele, Luan Ferreira de Oliveira, 19, foi atingido com quatro disparos ao ser confundido com o irmão, já o ‘de menor’ foi baleado duas vezes.

Segundo informações da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS),  Luan era envolvido em assaltos e Marcelo fornecia motos e armas para ele. De acordo com a especializada, Luan teria perdido uma das armas emprestada por Marcelo e esse foi o motivo da execução. Ainda segundo a polícia, os irmãos foram mortos por dois homens em uma moto.

De acordo com os amigos de Luan, dias antes Marcelo já havia apontado uma arma para Leandro cobrando R$ 500 pela perda da réplica e a mãe dos irmãos, que não foi encontrada pela reportagem, teria pagado R$ 150 à Marcelo.

“Quando a mãe dele viu (os irmão mortos) ela chorava, gritava. ‘Marcelo eu vou te matar, você tirou a vida dos meus filhos e eu vou tirar a sua’”, disse um dos amigos de Luan que não quis se identificar.

Ainda conforme os vizinhos das vítimas, Luan era usuário de drogas, mas não praticava furtos e nem tinha envolvimento com o tráfico de entorpecentes.

“Ele morreu porque estava do lado do irmão dele. Tanto, que quando atiraram nele e viram que não era o ‘de menor’ eles ficaram com raiva, porque era para ter descarregado a arma no Leandro e tinha sobrado só duas balas”, afirmou um dos vizinhos.

Luan, que foi atingido por quatro disparos, morreu no local, já Leandro chegou a ser removido para o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

De acordo com DEHS, a investigação segue na teoria de cobrança de dívida e segue à procura de outros detalhes.

Anúncio