Jornalista Alex Braga, do programa AMAZONAS DIÁRIO, sofre atentado ao sair do trabalho

O carro de Alex sofreu uma forte colisão na traseira do carro por volta das 21h15, na Avenida Djalma Batista. Apresentador foi agredido a socos por homens armados e disse que só ‘não morreu, porque correu’

Manaus – O jornalista Alex Braga, apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO, do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), foi alvo de um atentado, na noite desta quinta-feira (23), após deixar a sede da empresa. O carro do comunicador sofreu uma forte colisão proposital na traseira, por volta das 21h15, na Avenida Djalma Batista, bairro Chapada, zona centro-sul de Manaus. Após a batida, ele foi agredido a socos. O estado de saúde dele é estável.

 

O carro de Alex foi atingindo por um Jeep, de cor azul, de placa não identificada. Ao sair do veículo, o apresentador foi agredido por dois homens que o intimidaram e mostraram as armas na cintura. Um outro veículo, modelo Ônix, de cor branca, que acompanhava o Jeep, também participou da ação, ao parar próximo do veículo do apresentador, e deu cobertura na ação.

“Quando vinha aqui (pela via), veio outro (homem) por de trás de mim e me deu um murro. Eu fui para cima dele para me defender. Ele pensou que eu ia revidar e me intimidou, dizendo: ‘Ei, ei, não reage, se não vou te matar’, relatou o apresentador. “Tu tá devendo muita gente e tá falando demais no teu programa”, ameaçou um dos agressores.

Alex Braga disse ainda que ao fim da intimidação, os suspeitos, que eram altos e fortes, fugiram do local, nos dois carros. “Eu pedi ajuda em um loja de conveniência, e os funcionários me ampararam”, concluiu.

Represálias?

O atentado aconteceu após série de denúncias do programa AMAZONAS DIÁRIO, que revelou as investigações sobre fraudes em contratos milionários envolvendo as diversas secretarias do Governo do Amazonas, em especial a de Saúde, com ampla cobertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Estado (ALE). O programa também cobriu todo o desdobramento da operação Sangria, que resultou na prisão da secretária da pasta, além de empresários e servidores.

A tentativa de intimidar o tradicional GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO fere a liberdade de imprensa e os preceitos do estado democrático de direito, e ainda atinge, diretamente, toda a sociedade amazonense, motivo pelo qual o jornalista exige a rigorosa apuração dos fatos por parte das autoridades policiais.

Anúncio