Jovem é agredido em banda de Carnaval após tentar proteger prima de assédio

No vídeo, é possível ver que Odilon fica desacordado após as primeiras agressões e, mesmo assim, o grupo continua com os chutes, socos e pontapés

Manaus – Um jovem foi brutalmente agredido por quatro homens, após tentar impedir que sua prima sofresse assédio sexual, durante uma banda de Carnaval em Manaus. A agressão aconteceu na madrugada de segunda-feira (24), durante evento realizado no Parque das Laranjeiras, na zona centro-sul.

O estudante universitário Odilon Pereira Filho, 20, foi agredido após retornar do banheiro com sua prima, Rayssa Costa, 21. Em vídeo divulgado nas redes sociais é possível acompanhar a ação criminosa do grupo contra o jovem.

“Nós fomos para nos divertir, estávamos em família. Eu tentei proteger a minha prima do assédio e fui atacado quando estava voltando do banheiro com ela. Fui pego de surpresa porque não esperava que eles fossem me agredir”, relatou Odilon.

No vídeo, é possível ver que Odilon fica desacordado e, mesmo assim, o grupo continua com os chutes, socos e pontapés. O universitário foi socorrido por familiares e levado para um hospital particular, onde recebeu atendimentos médicos e realizou exames. Ele teve ferimentos na cabeça, rosto, joelhos e pernas. Rayssa também teve ferimentos na perna e recebeu atendimento.

Segundo a vítima de assédio, Rayssa Costa, 21, eles tentaram fugir do confronto com os homens mas os mesmos partiram para cima de Odilon.

“Eu senti alguém tocando na minha bunda, mas para evitar a confusão, sai apressada em direção ao banheiro. Quando começaram as agressões, eu me joguei em cima dele (Odilon) para que eles parassem com aquilo. Queremos justiça! Contra o assédio, agressão, contra os crimes que esses homens cometeram!”, disse Rayssa.

Após a repercussão do caso, Odilon publicou em uma de suas redes sociais, fotos dos ferimentos e do que aconteceu antes do grupo agredi-lo. “Espero que a justiça seja feita. Desejo apenas justiça”, disse na postagem.

(Foto: Reprodução)

Segundo uma parente de Odilon, o boletim de ocorrência a respeito das agressões foi realizado no 1° Distrito Integrado de Polícia (DIP). “Isso que esses homens fizeram não pode ficar impune. Eles assediaram uma prima nossa e além disso, recebi diversas declarações de outras meninas que estavam na festa e falaram que também sofreram assédio, que tiveram suas partes íntimas tocadas por esse grupo que agrediu nosso primo”, declarou uma parente que preferiu não ter o nome identificado na matéria.

(Foto: Reprodução)

“Tenho medo de sair, as pessoas não respeitam mais. Me sinto constrangida como mulher, de ter medo, pelo simples fato de ir no banheiro e ter que chamar alguém para ir comigo. Quero justiça, não é não! Não importa como você esteja”, disse Rayssa.