Justiça concede liberdade provisória para mulher de sargento morto, em Coari

Liberdade provisória foi concedida durante Audiência de Custódia. A Justiça informou ter concedido o benefício mediante a aplicação de medidas cautelares restritivas à dona de casa

Manaus – A Justiça em Coari concedeu, na tarde desta terça-feira (29), liberdade provisória, mediante medidas cautelares, à dona de casa Maria das Graças Andrade Lopes, 30, que atirou contra o marido, o sargento da Polícia Militar Salim de Alencar, 48, durante uma discussão em Coari.

Disparo ocorreu enquanto o casal discutia em frente a hotel (Foto: Divulgação)

À polícia, a mulher disse que o disparo foi acidental. O caso aconteceu no último domingo (27) em Coari (a 363 quilômetros a oeste de Manaus). De acordo com a Polícia Militar de Coari, o casal foi visto discutindo em frente a um hotel, quando a mulher pegou a arma do marido e atirou duas vezes. Um dos tiros atingiu o pescoço do policial.

A liberdade provisória foi concedida durante Audiência de Custódia em Coari. A Justiça informou ter concedido o benefício mediante a aplicação de medidas cautelares restritivas à dona de casa. Entre as medidas estão o comparecimento periódico e obrigatório à Comarca de Coari, mensalmente, além de proibição da mulher de sair da cidade.

Caso a mulher não cumpra as medidas, ela poderá ter a prisão preventiva decretada. Conforme o Tribunal de Justiça do Estado ao Amazonas (TJAM), Maria é ré primária. A decisão judicial aponta que “não se verificam dados concretos a concluir que a liberdade do suposto autor do fato possa fragilizar a ordem pública e econômica, comprometer a garantia de aplicação da lei penal”.

Morte

Segundo o major Pedro Moreira, comandante da Polícia Militar em Coari, a mulher encontrou o sargento “acompanhado” e o chamou para ir para casa. A suspeita do comandante é que o policial se recusou a seguir com a mulher.

Aos policiais, a mulher disse que tentou agredir o marido, batendo com a arma na cabeça dele, sem a intenção de atirar. Ela disse, ainda, que a arma disparou acidentalmente. “Ela jogou a arma no chão, entrou em estado de choque ao ver ele sangrando, e foi para casa da mãe dela, onde foi presa por volta das 17h30”, disse o major.

Anúncio
Anúncio