Justiça determina a soltura dos suspeitos de agredir universitário em banda de carnaval

A decisão foi do juiz Anésio Rocha Pinheiro, da 2º Vara do Tribunal do Júri do Amazonas. A prisão de um quarto homem foi renovada na quarta-feira (26)

Manaus – A justiça determinou a soltura dos três suspeitos de agredir o universitário Odilon Pereira Filho, 20, durante uma banda de carnaval, em fevereiro deste ano. A decisão foi do juiz Anésio Rocha Pinheiro, da 2º Vara do Tribunal do Júri do Amazonas. A prisão de um quarto homem foi renovada na quarta-feira (26).

Em entrevista ao Grupo Diário de Comunicação (GDC), Odilon explica, que o medo e insegurança tem tomada conta de toda família. Antes de serem presos, os suspeitos ameaçaram não somente Odilon e a prima, Rayssa Costa, 21, mas os familiares.

“Eu fico muito preocupado pela minha segurança e da minha prima, a gente já não estava saindo por conta dessa quarentena, agora, que não vamos sair mesmo, a gente não sabe o que eles são capaz de fazer, antes de serem presos eles estavam ameaçando a gente, nas redes sociais”, explicou o universitário.

Odilon conta ainda, que a família nunca recebeu nenhuma ajuda por parte dos suspeitos e tenta seguir a vida, mas sempre com sentimento de insegurança e impunidade. “A gente se sente totalmente inseguro. Antes disso eles ficaram um tempo foragido e não se entregarem e ainda acontece isso”, destacou Odilon.

Caso

A agressão aconteceu na madrugada do dia 24 de fevereiro, durante o carnaval, em um evento realizado no Parque das Laranjeiras, zona centro-sul de Manaus. Odilon foi agredido após impedir que a prima Rayssa sofresse assédio sexual.

O momento foi gravado e divulgado nas redes sociais. Segundo o Boletim de Ocorrência (BO) registrado no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), em de terminando momento, um dos suspeitos, identificado como Aldair Lucas teria importunado sexualmente, passando uma de suas mãos nas nádegas de Rayssa.

Em seguida, Odilon pede para que o suspeito não mecha com a prima, e o grupo inicia as agressões. O jovem chegou a ficar desacorda, e os homens não pararam de agredi-lo.

A vítima foi socorrida pela família e levado ao um hospital particular, ele teve ferimentos na cabeça, rosto, pernas e joelhos. Rayssa foi ferida na perna.