Líder de rebelião no Compaj é recapturado em comunidade no interior do Amazonas

Um dos líderes da rebelião do Compaj em janeiro de 2017, José de Arimatéia Façanha do Nascimento, conhecido como ‘Ari’, foi capturado em um sítio na fronteira do Amazonas com Roraima

Manaus – Um dos líderes da rebelião do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, no dia 1º de janeiro de 2017, o presidiário José de Arimatéia Façanha do Nascimento, conhecido como ‘Ari’, foi capturado, na manhã desta segunda-feira (7), em um sítio, na comunidade ribeirinha Vila Itaquera, localizada na fronteira do Amazonas com Roraima. As informações foram divulgadas pelo delegado Guilherme Torres, diretor do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) da Polícia Civil do Amazonas.

José de Arimatéia é primo de José Roberto Fernandes Barbosa, o ‘Zé Roberto da Compensa’, um dos líderes da facção criminosa Família do Norte (FDN), segundo informou Torres, e responde a 14 processos na justiça. O homem era foragido da Justiça desde o massacre de presos no Compaj que deixou 56 presidiários mortos. Na rebelião do Compaj, José de Arimatéia difundiu a ordem de ‘Zé Roberto’ para iniciar o massacre entre detentos dentro do presídio.

De acordo com o diretor do DRCO, José de Arimatéia se escondia em uma região estratégica para o tráfico de drogas. O escoamento de entorpecente é realizado da Colômbia para o Brasil, passando pelas cidades brasileiras de São Gabriel da Cachoeira e Barcelos, chegando ao encontro do Rio Negro com o Rio Branco, onde deságua em Vila Itaquera. Os policiais que o prenderam viajaram, no dia 1º de maio, à Caracaraí, em Roraima, e seguiram, de barco, até a comunidade de Vila Itaquera. Os policiais levaram sete dias para fazer a viagem e trazer ‘Ari’ a Boa Vista, capital roraimense.

‘Ari’ será encaminhado para Manaus, ainda nesta segunda-feira (7), e deve chegar à capital amazonense até a tarde desta terça-feira (8). O transporte de José de Arimatéia será realizado por três equipes de policiais do DRCO e da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop), da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

A prisão aconteceu após duas semanas de levantamento de informações do DRCO, Seaop e Divisão de Inteligência e Captura (Dicap) da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) de Roraima, com o apoio do Batalhão Militar de Novo Airão (a 115 quilômetros a noroeste de Manaus). Ele foi preso por agentes da Dicap e por policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) da Polícia Militar de Roraima.

De acordo com o DRCO, José de Arimatéia trocou tiros com policiais e foi flagrado pelo circuito de vigilância do complexo presidiário, com uma espingarda de calibre 12 durante a rebelião. ‘Ari’ é condenado a mais de 45 anos de prisão por roubo, latrocínio e homicídio. Ainda segundo Torres, em nome do presidiário, há dois mandados de prisão em aberto.

Anúncio