Lutadora de jiu-jítsu morre em hospital após ser alvo de tiros no aniversário

Homens invadiram a festa de Patrícia da Cunha Leite, 24, que comemorava com a família, e anunciaram um assalto. Na ação, um deles perguntou se ela estava presente. Houve silêncio. Patrícia foi alvejada após ser reconhecida

Manaus – Depois de ser alvejada com três tiros na cabeça, em sua festa de aniversário, a lutadora de jiu-jítsu Patrícia da Cunha Leite, 24, morreu na tarde deste domingo (27), no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na zona leste de Manaus. Segundo informações da Polícia Civil (PC), ela comemorava o aniversário com a família, no bairro Japiim, quando três homens invadiram o local e anunciaram um assalto. A lutadora foi alvo dos disparos depois de ser reconhecida após um dos criminosos perguntar se ela estava presente.

A PC informou que os criminosos invadiram a festa por volta das 3h da madrugada deste domingo. Enquanto recolhiam os pertences, um dos integrantes perguntou se a lutadora estava no local. Houve um silêncio e ninguém respondeu à pergunta, até que a vítima foi reconhecida e sofreu os disparos.

Carlos Abraão Rodrigues Farias, 19, Eduardo Alencar Navegantes, 23, e Ronaldo Borges Silva, 33, foram presos em flagrante, após denúncia indicar que o trio estaria cometendo roubos no bairro. Ronaldo Borges, já possui antecedentes criminais, por um homicídio que ocorreu em maio de 2009, quando chegou a ser preso em flagrante.

Conforme informações do 1° Distrito Integrado de Polícia (DIP), em depoimento, o trio negou a autoria dos disparos. Os homens disseram à polícia que havia um quarto homem, que teria sido o responsável pelos disparos que mataram a lutadora. O nome do suspeito está em sigilo.

A morte de Patrícia Cunha será investigada pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).