Mãe e filho são encontrados decapitados após comunidade ser invadida

Dulcinéia Ferreira Lima Ramos, Yuri Lima Ramos e Matheus Gilventino Lima foram mortos, na madrugada desta quinta-feira (16), na Comunidade Itaporanga

Manaus – Dulcinéia Ferreira Lima Ramos, 51, conhecida como ‘Baiana’; Yuri Lima Ramos, 19; e Matheus Gilventino Carvalho, 20, foram encontrados decapitados, na manhã desta quinta-feira (16), em uma área de mata, na Comunidade Itaporanga, próximo ao Conjunto João Paulo, bairro Nova Cidade, zona norte da capital.

Por volta das 3h, moradores informaram à polícia que pessoas foram mortas na comunidade. Segundo o tenente Francisco Batista, da 15ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), os policiais da 13ª e 15ª Cicom’s e Força Tática foram ao local e não encontraram os corpos. Já às 6h da manhã, novas informações foram passadas e os policiais voltaram ao local e encontraram as vítimas.

Atrás de uma residência estava o corpo de Dulcinéia, decapitado e com as mãos amarradas. Dentro da mata, encontraram mais dois corpos. O de Yuri, filho de Ducinéia, estava com um corte grande no pescoço, uma das mãos cortadas e com uma corda amarrada na outra mão. Já Matheus, foi encontrado com as mãos amarradas para trás e decapitado. A cabeça de Dulcinéia estava junto aos corpos dos dois jovens.

De acordo com relatos dos moradores aos policiais da 15ª Cicom, a comunidade teria sido invadida na madrugada desta quinta, por cerca de 20 homens não identificados que levaram o trio para o local, depois os torturaram e mataram.

“Eles passaram pelo local em busca de armas. Segundo os moradores, houve muita gritaria no momento da invasão. O grupo também entrou na residência próxima que possivelmente usaram para torturar uma pessoa em busca de informações sobre o paradeiro das vítimas. Além disso, na casa encontramos várias siglas referentes a uma facção”, contou o tenente Francisco Batista.

Segundo moradores que não quiseram se identificar, Dulcinéia era uma das líderes da comunidade, vendia lotes de terra no local e cobrava taxas dos moradores. Ela teria vendido um terreno que pertencia a outro líder comunitário. Por conta disso foi ameaçada de morta. A população suspeita que a sigla pintada na casa foi para despistar o crime.

Conforme Batista, as portas de algumas casas próximo ao local apresentaram sinais de arrombamento e nelas estavam escrito com o sangue das vítimas, a sigla do Comando Vermelho (CV), que é uma facção criminosa.

Durante a ação do grupo, um homem de 34 anos, que dormia em uma das casas e que presenciou o ocorrido, foi espancado pelos criminosos. Ele foi encaminhado ao SPA do Galiléia, na zona norte.

O marido de ‘Baiana’, Francisco de Souza Pereira, 53, foi morto com quatro tiros no dia 27 de fevereiro deste ano na Comunidade Urucaia, no bairro Nova Cidade. A assassinato estaria relacionado à disputa por terras.

Segundo o Departamento de Polícia Técnica Científica (DPTC), os três corpos estavam com sinais de tortura e várias perfurações feitas com arma branca. Na mata, os policiais encontraram uma faca e um pedaço de madeira que foram recolhidas.

O Instituto Médico Legal (IML) fez a remoção dos corpos para exame de Necropsia. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) vai investigar o caso.

Anúncio