‘Matei um inocente, por isso morri’, diz bilhete junto ao corpo de jovem executado

Kleverton da Silva Lucas, 16, foi executado com aproximadamente oito tiros na Avenida Brasil, no início da tarde desta segunda-feira (27)

Manaus – Kleverton da Silva Lucas, 16, foi executado com aproximadamente oito tiros na Avenida Brasil, bairro Compensa, zona oeste de Manaus, no começo da tarde desta segunda-feira (27). O adolescente estava com as mãos amarradas para traz e um bilhete grudado em suas costas que dizia “Matei um inocente, por isso morri!”.

(Foto: Anamaria Leventi/Divulgação)

Já não é possível ler claramente tudo que estava escrito no bilhete que foi grudado nas costas de Kleverton, por conta do sangue, mas na mensagem, escrita a mão, ainda é possível ler alguns trechos: “Morri por que matei um inocente ontem na … matei o menino chamado … Matei ele ontem, meia noite na avenida… Por favor não mate inocente”.

Segundo o delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Orlando Amaral, o adolescente teria envolvimento com o tráfico e estaria relacionado a um homicídio que aconteceu em outra área da cidade. “Tem um papel que estava fixado nele com um recado que dizia que ele teria matado alguém. Não se tem essa certeza ainda, mas o recado está ali. Provavelmente o crime tem relação com o tráfico pela situação apresentada. Ele está amarrado e pelo jeito foi jogado ainda vivo na avenida. Só depois deram os tiros”, disse o delegado.

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) vai assumir as investigações desse caso (Foto: Divulgação)

Os peritos criminais da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) foram ao local para iniciar as investigações sobre o homicídio de Kleverton. Ao menos oito tiros acertaram a perna, cabeça, ombro e braço do adolescente. Uma das pernas dele estava fraturada.

De acordo com informações preliminares, Kleverton era morador do bairro Monte Horebe e teria vindo para o bairro Compensa visitar a família. Quando ele foi avistado no bairro, foi sequestrado e levado a um local fechado no Beco da Paz, onde teve suas mãos amarradas e possivelmente foi torturado.

Por volta das 13h, o adolescente teria conseguido fugir dos sequestradores, no momento em que tentaram o colocar dentro da mala de um carro. Kleverton correu e conseguiu chegar na Avenida Brasil, onde foi interceptado e executado a tiros.

Os familiares de Kleverton não sabiam que o adolescente estava no bairro. Ele foi reconhecido por uma conhecida que viu o corpo do jovem e informou a família que foi ao local.

Policiais da 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram os primeiros a chegarem no local e isolar a área. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para realizar a remoção do corpo e o exame de necropsia. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) vai assumir as investigações desse caso.

Anúncio