Motorista vítima de latrocínio buscava aposentadoria para fugir de assaltos, diz irmão

Segundo familiares, Francisco Araújo da Silva já havia sofrido inúmeros assaltos a ônibus. Ele foi morto, na noite desta quinta-feira, durante mais um assalto, na Avenida Max Teixeira

Manaus – Enilson Araújo, 44, foi ao Instituto Médico Legal (IML), na manhã desta sexta-feira (15), identificar o corpo do irmão, Francisco Araújo da Silva, 51, motorista de ônibus que morreu durante um assalto, na noite dessa quinta-feira (14). O crime aconteceu na Avenida Max Teixeira, bairro Cidade Nova, zona norte de Manaus, e ocorreu troca de tiros entre assaltantes e um policial que estava no veículo, da linha 450.

O motorista Francisco Araújo da Silva foi morto durante um assalto (Foto: Reprodução)

De acordo com irmão da vítima, o motorista já havia passado por outras inúmeras tentativas de latrocínio e se queixava constantemente. “Meu irmão trabalha há muito tempo no sistema, falava todo dia pra mim que já estava à procura de se aposentar. A segurança é praticamente zero. Não aparece ninguém dos Direitos Humanos para nos confortar. Mas quando pegam vagabundo, todo mundo corre em cima”, disse Enilson.

A morte da vítima ocorreu quando dois homens tentaram assaltar um ônibus da linha 450, na entrada da Avenida Max Teixeira, por volta das 21h. Após troca de tiros com um policial que estava no veículo, Francisco foi atingido, morrendo de hemorragia aguda.

Um dos assaltantes, um adolescente de 17 anos, foi atingido com um tiro na cabeça e foi enviado ao Hospital Pronto-Socorro Platão Araújo, zona leste, de onde foi encaminhado para o Hospital João Lúcio, no qual adentrou no Centro Cirúrgico.

Conforme familiares, o enterro de Francisco será no Cemitério do Tarumã, zona oeste, enquanto que o velório ocorrerá na Igreja Católica Nossa Senhora da Paz, no Bairro da Paz, zona centro-oeste.