Grupo é preso suspeito de desviar R$ 1,7 milhão de cartórios

Prisões são referentes a três casos distintos, sendo que em dois casos a polícia também teve o apoio de polícias de outros estados.

Manaus – Oito pessoas foram presas em operação da Delegacia Especializa de Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD). As prisões são referentes a três casos distintos, sendo que em dois casos a polícia também teve o apoio de polícias de outros estados. As prisões começaram a ser efetuadas nesta terça-feira (25) e teve outros suspeitos detidos na tarde desta quarta-feira (26). Em um dos casos, um grupo desviou R$ 1,7 milhão de cartórios, segundo a polícia.

Oito pessoas são presas em operação da Delegacia de Roubos e Furtos (Foto: Carlos Nascimento)

Desvio de dinheiro de Cartórios

O primeiro caso abordado pelo o delegado da especializada, Aldeney Goes foi o trio que coordenava um instituto que realizava desvios de valores de Cartórios para contas pessoais. “Verificamos que essas pessoas encontraram métodos de burlar o sistema. Davam jeito de apagar a entrada dos valores que entravam no local e o dinheiro que sobrava era transferido como se fosse pagamento logístico”, disse. O falso instituto fez acordos com 78 cartórios e ao todo foi desviado o valor de 1 milhão e 700 mil reais.

Ainda conforme o delegado, com o início das investigações os envolvidos se mudaram ou desapareceram. Um dos suspeitos foi preso nesta terça-feira pela equipe da DERF e dois foram presos nesta quarta-feira (26) em Balneário Camboriú com ajuda da Polinter e da Polícia de Santa Catarina. As prisões foram em caráter preventivo.

Furtos em Supermercados e estelionato

Outro caso que resultou em três prisões temporárias nesta quarta-feira foi a série de furtos em supermercados de Manaus. Segundo o delegado Aldeney Goes, as investigações começaram quando houve o furto de um cofre em um supermercado no qual houve a invasão do estabelecimento pelo telhado sem deixar rastros e o arrombamento do um cofre.

A partir daí, outras delegacias começaram também a investigar casos de supermercados de outras zonas da cidade que foram furtados. “Os autores seriam duas pessoas vindas do Paraná e estavam recrutando pessoas do Amazonas. Eles chegaram a ser presos no Paraná e já tinham conhecimento de como praticar esse delito, vieram para o Amazonas e recrutaram outras pessoas”, afirmou o delegado. Além do crime de furto também houve o crime de estelionato pois um dos suspeitos tinha o costume de comprar grande quantidade de produtos por meio de cheque e revender para empresários, desaparecendo em seguida.

Furto Fios

Por fim, o delegado abordou o caso da dupla presa por furtar fios de telefonia em Manaus. Ele comentou que órgãos começaram a cobrar investigações em decorrência da freqüência com que esse tipo de delito é realizado em Manaus.
“Temos recebido cobranças de órgãos públicos que às vezes param de funcionar porque alguém foi lá e cortou um cabo, então muitas vezes até os atendimentos emergenciais não podem ser realizados”, afirmou.

Anúncio