Polícia de Roraima apresenta detalhes da prisão do suspeito pela morte de Miss Manicoré

Rafael Fernandes Rodrigues esta´preso na Delegacia Geral de Roraima, em Boa Vista, e será transferido para Manaus ainda neste sábado (16)

Manaus – O analista judiciário Rafael Fernandes Rodrigues, 31, principal suspeito pela morte da Miss Manicoré, Kimberly Karen Mota, 22, foi apresentado na manhã deste sábado (16), na sede da Delegacia Geral de Roraima. Os policiais contaram detalhes sobre como foi feita a prisão dele, na tarde desta sexta-feira (15), em um barraco, numa área de mata, em Pacaraima (RR), fronteira com a Venezuela.

Foram quatro dias de busca visando a prisão do fugitivo que estava com um mandado de prisão temporária expedido pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Um cerco foi montado pelas forças de segurança do Amazonas e Roraima.

“Após o fato ocorrer em Manaus, a Polícia Civil do Amazonas, com algumas informações de que o Rafael poderia ter vindo a Roraima, fez contato conosco e criamos uma força-tarefa, onde havia troca de informações. Tudo era compartilhado. Desta forma, podemos acompanhar o passo a passo do suspeito até conseguir chegar a informação que ele estaria no município de Pacaraima”, disse o sargento Roney, que estava à frente das buscas.

O sargento contou, também, que Rafael chegou em Roraima, no início de segunda-feira (11), poucas horas após o assassinato da miss. Ele passou por uma barreira da Polícia Rodoviária Federal (PRF), ainda com seu carro, um Audi branco. Os policiais, com essa informação, foram ao sul do estado, pois não havia registro da entrada do veículo na capital Boa Vista.

O veículo não havia entrado na cidade, pois capotou no Parque Nacional do Viruá, município de Caracaraí. “Rafael então pegou carona em uma camionete e foi até a sede de Caracaraí. Deu R$ 50 ao homem que estava dirigindo e pegou um taxi com destino à capital Boa Vista. Ele então chegou ao Terminal Rodoviário da capital, sacou dinheiro e foi ao Terminal do Caimbé, local onde os taxistas levam as pessoas até a fronteira com a Venezuela”, detalhou o sargento.

Roney contou, ainda, que com essas informações, os policiais de Roraima entraram em contato com a polícia venezuelana que adiantou que a fronteira estava fechada e que procuraram por Rafael em alguns hotéis e não o encontraram. Os policias, então, acreditaram que Rafael estava em Pacaraima ou havia voltado para Boa Vista.

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (FICCO) e as policias federais, militares e civís receberam uma denúncia do possível esconderijo do foragido. Pela manhã de sexta, foram ao local e avistaram Rafael em um barraco feito com troncos de bambu. Ele tentou fugir, mas a área estava cercada. Ele estava apenas com a roupa do corpo e uma quantia de R$ 600.

Em depoimento na Delegacia de Pacaraima, uma testemunha contou que dois venezuelanos estavam dando cobertura a Rafael. Humberto Martinez, 24, e seu irmão, um adolescente de 17 anos, foram presos pelo crime de favorecimento pessoal. Eles foram até a delegacia e assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e um termo para comparecer na Justiça, sendo liberados em seguida.

Rafael foi encaminhado à sede da Delegacia Geral de Roraima, na madrugada deste sábado. Ele foi interrogado e se encontra em uma carceragem na unidade policial. Uma equipe da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) foi ao local para buscá-lo. Sua chegada em Manaus está prevista ainda para este sábado.