Polícia desarticula esquema que causou prejuízo de R$ 1 milhão para empresa

Três homens foram presos em flagrante, no Jorge Teixeira, pela participação no delito

Manaus – A polícia desarticulou um esquema criminoso responsável por desviar, em um ano, peças de placa de fibra de média densidade (MDF) de uma empresa especializada em cortes de alumínio e MDF, com prejuízo estimado em R$ 1 milhão para o estabelecimento. Ao longo dos trabalhos, três indivíduos foram presos em flagrante pela participação no delito.

Allan e Erismar foram atuados em flagrante furto qualificado, abuso de confiança e associação criminosa (Foto: Divulgação)

Conforme a delegada Juliana Tuma, titular do 22º DIP, a ação resultou nas prisões dos ajudantes de caminhão, funcionários da empresa vítima, Allan da Silva, 36, e Erismar Pereira da Silva, 40, por furto qualificado, abuso de confiança e associação criminosa, e de João Vieira Pereira, 72, por receptação qualificada e associação criminosa.

A delegada informou que as prisões ocorreram por volta das 12h30, na última sexta-feira (20), na Rua dos Cravos, bairro Jorge Teixeira, zona leste da cidade, no momento em que os ajudantes de caminhão descarregavam 12 peças de MDF, desviadas da empresa, em um depósito que pertence a João.

“Fomos acionados por um representante da empresa, com matriz na área de circunscrição do 22º DIP, que informou no registro da ocorrência que estavam ocorrendo furtos na empresa e suspeitava da participação de alguns funcionários. Iniciamos as diligências e, após localizar o caminhão que tinha saído pra entrega, nossa equipe passou a segui-lo, quando os policiais avistaram os ajudantes descarregando o material desviado”, disse Juliana.

As peças de MDF desviadas possuem valor de mercado de R$ 280 cada, e eram repassadas pelos funcionários da empresa para o receptador pelo valor de R$ 80, cada peça. João as revendida por R$ 120.

“João era a mola propulsora do esquema porque a venda para ele era certa. Ele tanto comprava o material furtado como revendia a um preço muito abaixo do valor de mercado. Além disso, ele anunciava esse material em sites de compra e vendas de produtos. A rotatividade do delito era grande. Apreendemos no galpão utilizado por João, para fins comerciais, cerca de 150 peças de MDF, supostamente desviadas da empresa vítima. O esquema já vinha acontecendo há cerca de um ano, causando prejuízo aproximado de R$ 1 milhão para empresa”, explicou a delegada.

Procedimentos 

Allan e Erismar foram atuados em flagrante furto qualificado, abuso de confiança e associação criminosa. Já João foi autuado por receptação qualificada e associação criminosa. Ao término dos trâmites na delegacia, o trio foi conduzido para audiência de custódia, no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis.

Anúncio