Polícia encontra bolsa de mulher e pano manchado durante buscas por desaparecida

O material encontrado será encaminhado à perícia para constatar se é ou não de Andressa Castilho de Souza, que desapareceu após visitar no marido no Compaj

Manaus – Buscando por vestígios que possam levar ao paradeiro de Andressa Castilho de Souza, 23, a equipe do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) encontrou uma bolsa de mulher, com um rolo de fita isolante dentro e um pano com manchas que se assemelham à sangue, na manhã desta segunda-feira (11), nas matas localizadas aos arredores do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), na zona rural de Manaus. Andressa desapareceu após visitar o marido no Compaj, no dia 28 de novembro.

Mulher desapareceu após visitar o marido no Compaj (Foto: Divulgação)

Segundo o delegado Guilherme Torres, diretor do DRCO, o rolo de fita isolante estava dentro da bolsa. Ainda de acordo com Torres, o pedaço de tecido estava manchado. “Achamos esse pano e é aparentemente sangue”, disse o delegado, acrescentando que os objetos serão levados para a perícia criminal para comparação genética.

Na última quinta-feira (7), a equipe da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPCães) encontrou, na região, fio de cabelo, uma cama de palha, e o cabo de um machado, segundo informou o comandante do CIPCães, o capitão Paulo Padilha. “O cabelo será encaminhado para perícia”, disse o comandante, acrescentando que a equipe vai retornar ao local, para novas buscas, nesta terça-feira (12).

Leia também: Presidiário é suspeito de envolvimento em sumiço de mulher que desapareceu após visita ao Compaj

À reportagem, o pai de Andressa, o pastor Rilson Moraes de Souza disse que a família da jovem ainda não teve acesso à bolsa encontrada pela equipe do DRCO. “Estamos aguardando informações. Ainda não vimos os objetos apreendidos. Estamos aguardando as filmagens para ver exatamente o que mostra”, disse o pai de Andressa.

Rilson também contou que o governo estadual aguarda as imagens que, segundo ele, estão em posse da Guarda Nacional, que faz a segurança do ramal entre as prisões e o quilômetro 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista).

Quem tiver informações sobre o paradeiro da mulher, pode entrar em contato com a polícia pelo 181. O delegado Guilherme Torres reitera que a identidade dos informantes será preservada.

Anúncio