Polícia investiga envolvimento de fazendeiros no desparecimento de ativistas em Canutama

Além de agentes das polícias civil e militar, 11 militares do Exército Brasileiro, participam das buscas pelos desaparecidos

Manaus – A Polícia Civil do Estado Amazonas, por meio do delegado Teotônio Rego, titular da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Humaitá, município distante 590 quilômetros em linha reta da capital, representou junto à Justiça da Comarca de Canutama, mandados de prisão temporária e de busca e apreensão em nome de dois fazendeiros de Canutama, por possível envolvimento no desaparecimento de três líderes de um movimento que reivindica terras da União, na localidade conhecida como Araras, situada naquele município, distante 619 quilômetros em linha reta de Manaus.

Conforme a autoridade policial, os líderes do assentamento, identificados como Flávio Lima de Souza, 38; Marinalva Silva de Souza, 34, e Jairo Feitoza Pereira, 20, desapareceram no dia 15 de dezembro deste ano. O local, considerado de difícil acesso, é conhecido por ser uma área de conflito por posse de terras.

(Foto: Divulgação PM)

Equipes da DIP de Humaitá e da 62ª DIP de Canutama, com o reforço de integrantes do Comando de Operações Especiais (COE) e o Canil, ambos da Polícia Militar do Amazonas, além de militares do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia (CBMRO), peritos de Rondônia e 11 militares do Exército Brasileiro, participam das buscas pelos desaparecidos.

“A área, considerada de difícil acesso, fica na divisa dos municípios de Canutama e Humaitá, e do estado de Rondônia. Para se ter uma ideia, ou você chega de avião ou em uma lancha, numa viagem que pode durar 12 horas. Por isso, reunimos os policiais civis lotados em Humaitá e Canutama para reforçar os trabalhos de busca por essas pessoas”, explicou o delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas, Mariolino Brito.

Disputa de terras – De acordo com o titular da DIP de Humaitá, os desaparecidos e os fazendeiros estão envolvidos em uma disputa de terras, localizadas em uma área pertencente à União. “A Polícia Civil está trabalhando com o intuito de localizar os três desaparecidos com vida. Peritos e bombeiros do estado de Rondônia, assim como policiais militares do Amazonas, estão nos auxiliando nas buscas”, concluiu.

Saiba Mais 

Três sem-terra desaparecem no Amazonas após denunciar ameaças

Anúncio