Polícia investiga morte de bebê de 9 meses em Manaus

Criança foi levada já morta para o SPA Joventina Dias com hematomas no corpo. A mãe e os familiares criança foram ouvidos pela polícia

Com informações da assessoria/ [email protected]

Criança foi levada já morta ao SPA Joventina Dias (Foto: Eraldo Lopes)

Manaus – A morte de uma bebê de 9 meses, por volta de 12h30 na tarde de segunda-feira (12), será investigada pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) por suspeita de agressão. De acordo com a PC, a bebê foi levada pelos familliares em óbito para o Serviço de Pronto Atendimento Joventina Dias (SPA) com hematomas no corpo.

Segundo a  delegada Ana Cristina Braga, titular em exercício da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), a criança estava sem urinar e defecar há três dias, quando os familiares a conduziram, já em óbito, para o SPA.

“Eles moravam em Tarumã-Mirim [comunidade], que é um lugar de difícil acesso. A criança estava doente há vários dias, quando a mãe, que é uma adolescente de 14 anos, e a avó, resolveram levar a criança a Manaus. A embarcação  em que elas estavam demorou horas pra chegar  a cidade. Então, a informação que temos é que a criança veio a óbito as 12h30, no meio da viagem, e chegou no SPA as 17h, já sem vida”, afirma.

Na unidade hospitalar, a médica plantonista se recusou a dar as causas da morte da criança, pois segundo ela, a mesma  tinha hematomas pelo corpo.

O Conselho Tutelar da zona sul foi acionado e conduziu os familiares para o 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde foi registrada a ocorrência e na madrugada desta terça-feira (13), o procedimento foi transferido para Depca.

Ainda de acordo com a delegada, já foi realizado no Instituto Médico Legal (IML) o exame de necropsia no corpo da criança e a causa da morte do bebê ainda está indeterminada, mas, foi descartada a suspeita de violência sexual e física.

A Polícia Civil informou que serão realizados exames complementares e que a mãe da criança, a adolescente de 14 anos, já foi ouvida, assim como todos os familiares da adolescente.

A delegada Ana Cristina Braga destacou, ainda, que os procedimentos em torno do caso seguem em andamento e que a investigação de supostos maus tratos feitos pela adolescente, serão investigados pela Delegacia Especializada em  Apuração de Atos Infracionais (Deaai).

Anúncio