Polícia investiga morte de homem no Rio Negro após laudo do IML negar afogamento

Laudo aponta o homem, encontrado no último dia 15, foi morto por asfixia. Família suspeita de ‘amigo’ da vítima, que disse que eles caíram no rio após uma colisão entre embarcações

Manaus – A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) investiga a morte de Jeferson Diniz Silveira, 41, após um laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontar a causa da morte como asfixia, na manhã desta quinta-feira (28). O corpo do homem foi encontrado no dia 15 de agosto, nas águas do Rio Negro, próximo a ‘Marina do Davi’, no bairro Tarumã, zona oeste de Manaus.

Na época, o caso foi considerado um afogamento, mas família acusa um amigo da vítima, que contou à polícia que os dois haviam sofrido um acidente no Rio Negro, quando voltavam do trabalho.

Caso foi registrado no 19º DIP mas encaminhado à DEHS após divulgação do laudo do IML (Foto: Eraldo Lopes)

De acordo com o delegado Paulo Benelli, titular do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), o suspeito, que não teve o nome divulgado, afirmou que, na noite do ocorrido, ele e Jeferson voltavam do trabalho em um bote, quando uma lancha preta colidiu com o bote e os dois caíram no rio.

O homem disse à polícia que nadou até uma chácara e esperou até o dia seguinte para pedir ajuda. O corpo de Jeferson foi encontrado dois dias depois e, a princípio, a causa da morte foi considerada por afogamento.

O delegado afirmou, também, que a família suspeita que o autor do crime seja o amigo Jeferson, que estava no bote no momento do acidente e é a única testemunha do caso. Segundo a família, os dois tinham uma desavença, que pode ser a motivação do crime.

Após o IML divulgar o laudo, que afirma que a causa da morte é asfixia, o 19º DIP encaminhou o caso para a DEHS, que vai dar continuidade nas investigações sobre o caso.

Anúncio