Polícia registra 3 assassinatos em menos de 12 horas, no Crespo, zona sul de Manaus

Na tarde de sábado (13), outros dois homens foram mortos numa área de rip-rap, conforme registros da equipe de investigação da Delegacia Especializada em homicídios e Sequestros (DEHS)

Manaus – Em menos de 12 horas, três assassinatos foram registrados no bairro Crespo, zona sul de Manaus. Por volta das 5h deste domingo (14), um homem morreu e outras três pessoas foram feridas, a tiros, em uma lanchonete, na Rua Da Paz. Na tarde de sábado (13), outros dois homens foram mortos numa área de rip-rap, conforme registros da equipe de investigação da Delegacia Especializada em homicídios e Sequestros (DEHS) que deve investigar os assassinatos.

Um dos crimes aconteceram na Rua Da Paz (Foto: Raquel Miranda/GDC)

Morte lanche

Por volta das 5h deste domingo, um homem identificado como o microempresário Adailton da Silva de Souza, 26, morreu no Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do bairro Colônia Oliveira Machado, também na zona sul, após ter sido ferido a tiros dentro de um lanchonete, localizado à Rua Da Paz.

Conforme a equipe de investigação da DEHS, durante a ação dos criminosos, outras três pessoas, identificadas como Jefferson Ramos de Oliveira, Wronays Pereira Praia e Maria da Silva de Carvalho, de idades não divulgadas, também foram feridas e levadas para SPA da zona sul.

Na rua onde aconteceu o crime, moradores não quiseram falar sobre o caso. Na DEHS, a autoria e motivação para o assassinato ainda são desconhecidos.

Duplo homicídio

No fim da tarde de sábado, Anderson Cordeiro Santarém, 31, e Rodrigo coelho Baraúna, 21, foram assassinados a tiros, após serem surpreendidos pelos pistoleiros, numa área de rip-rap, na Rua Paranavaí, também no Crespo.

Conforme informações da equipe de investigação da DEHS, o ataque foi promovido por traficantes rivais. Os feridos foram levados ao SPA da Colônia Oliveira Machado, mas já chegaram mortos no local.

Ainda segundo a equipe de investigação da DEHS, Anderson era monitorado por uma tornozeleira eletrônica, da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), e respondia pelo crime de tráfico de drogas.

Até a tarde deste domingo, nenhum criminoso que participou das execuções, havia sido identificado.