Presidiário rompe tornozeleira eletrônica e se entrega à polícia para fugir de ameaças de morte

“Nós supomos que ele esteja devendo alguma boca de fumo e que tenha preferido ir à cadeia, por se sentir mais seguro lá”, disse a sargento Socorro Dantas, da 18ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom)

Manaus – Dieimerson Monteiro Silva, 26, foi preso, após romper a tornozeleira eletrônica que usava, na Rua Rio Solimões, bairro Colônia Santo Antônio, zona norte de Manaus, na tarde deste domingo (16). O homem executou a ação de propósito, alegando que estava sofrendo ameaças de morte, segundo informou a sargento Socorro Dantas, da 18ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

A prisão ocorreu por volta do meio-dia, depois que os policiais militares da 18ª Cicom foram acionados, por meio do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), para localizar um foragido da Justiça. Ao chegarem no local, Dieimerson se entregou aos policiais, alegando que quebrou a tornozeleira eletrônica por sofrer ameaças de morte. “Nós supomos que ele esteja devendo alguma boca de fumo e que tenha preferido ir à cadeia, por se sentir mais seguro lá”, disse a sargento.

(Foto: Divulgação/PM)

Dieimerson já tinha passagem pela polícia pelo crime de latrocínio e foi levado ao 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na zona norte, por dano ao patrimônio público.

Tornozeleiras

Em outubro de 2018, o delegado Guilherme Torres, da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), apontou que cada kit de tornozeleiras eletrônicas custa ao Estado R$ 1.300.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou, neste domingo (16), que flagrou 130 irregularidades em tornozeleiras eletrônicas ativas em presidiários de Manaus. Só de dispositivos desligados, a secretaria identificou 51 equipamentos. A operação “Tornozeleira” ocorreu neste sábado (15) em diferentes bairros da capital amazonense.

Anúncio