Preso o pedreiro suspeito de ter assassinado empresária no Lírio do Vale

“Depois de morta, ele ainda tirou a roupa da mulher e jogou um material que ele disse que é usado para fazer reboco, nas partes íntimas da vítima e em seu rosto”, destacou a delegada

Manaus – O pedreiro Antônio Augusto de Oliveira Fernandes, 44, foi preso na tarde desta terça-feira (26), na comunidade Tuiué no município de Manacapuru, suspeito de ter assassinado com golpes de faca, enxada e uma barra de ferro, a empresária do ramo de confecções Luzia dos Santos Silva, 46, encontrada morta, seminua, no piso superior da residência onde morava, no último domingo (24), na Rua Sapeaçu, conhecida como Rua F, no Conjunto Augusto Montenegro, bairro Lírio do Vale, zona oeste de Manaus.

(Foto: Vitor Massullo/Divulgação)

De acordo com o delegado Paulo Martins, a vítima teria dispensando os serviços do pedreiro por estar sendo assediada por ele. “Assim que praticou o crime, o pedreiro resolveu fugir. Ele teve o cuidado de sumir com o HD que armazenava as imagens do crime, registradas por câmeras de segurança. Ele jogou o HD em um bueiro próximo à residência onde ele residia com a irmã”, explicou o delegado.

Em depoimento à polícia, Antônio disse que a vítima ficou devendo a quantia de R$300, referente ao serviço de construção e obras que realizava na casa de Luzia. O suspeito disse ainda levou peças de roupas que a vítima vendia, para cobrir o “prejuízo” que teve.

“O pedreiro usou uma enxada que o cabo chegou a quebrar com os golpes contra à vítima, além de uma faca pequena que ele usou para desferir um golpe no pescoço da mulher. Depois de morta, ele ainda tirou a roupa de Luzia e jogou um material que ele disse que é usado para fazer reboco, nas partes íntimas da vítima e em seu rosto”, destacou a delegada Marília Campelo, responsável pelo inquérito.

Ainda de acordo com as investigações, um sapato do suspeito com o sangue da vítima foi encontrado pela polícia, o que já caracteriza um envolvimento do suspeito no crime. Antônio deve responder por homicídio qualificado e permanecerá à disposição da Justiça.

Anúncio