Preso o terceiro suspeito de agressão a jovem durante banda de carnaval

Com a prisão de Caio Nogueira Ribeiro, apenas um suspeito segue foragido: Aldair Lucas

Manaus – Caio Nogueira Ribeiro foi preso na tarde desta quarta-feira (25), em cumprimento a um mandado de prisão preventiva por tentativa de homicídio e importunação sexual. Segundo a polícia, ele é integrante do grupo que agrediu fisicamente um estudante de medicina no dia 23 de fevereiro, durante uma banda de carnaval.

Caio foi preso no Conjunto Hiléia na tarde desta quarta-feira (Foto: Divulgação)

A prisão aconteceu no Conjunto Hiléia, zona centro-oeste. Segundo o delegado Rafael Allemand, diretor do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado, Caio é o terceiro suspeito preso. “São quatro pessoas envolvidas nessa tentativa de homicídio e ainda encontra-se foragido o Aldair Lucas”, disse.

Segundo a mãe da vítima, Claudia Albuquerque da Costa, a família estava oferecendo uma recompensa no valor de R$ 2 mil, mas a informação que ocasionou a prisão, foi anônima.

“Você não tem ideia o que é ficar mexendo o tempo todo na ferida, ver o vídeo do meu filho sendo espancado. Ontem, ele (Caio Nogueira), falou que R$ 2 mil reais não era nada, que deveria ser oferecido mais por ele. Deus é tão justo que não precisamos gastar nenhum dinheiro, o que ele valeu? Nada! Não precisamos gastar nada. Agradecemos o empenho da equipe policial que está a frente dessa investigação, fazendo um serviço perfeito que eu e você, toda a população merece”, disse a mãe.

Claudia Albuquerque da Costa, mãe do jovem agredido, esteve na delegacia na tarde desta quarta-feira (Foto: Anamaria Leventi)

Ainda segundo o delegado, a prisão de Caio foi realizada por meio de denúncia anônima. “Recebemos a informação que um dos foragidos estava na área do Hiléia, fomos até o local e constatamos que Caio estava conduzindo um veículo. Foi dada a voz de prisão, ele ainda tentou fugir e bateu o carro. Ele foi preso e conduzido ao 12° DIP”, relatou Rafael Allemand.

De acordo com Clivia Nogueira, prima de Caio, o rapaz não é bandido. “Desde os oito anos ele trabalha, não precisou de mamãe e papai para dar nada para ele. Errou sim, vai pagar pelo que ele fez, ele deu um chute, um chute. Mas estão expondo a imagem dele, chamando ele de estuprador, bandido, psicopata e até a nossa família está sendo ameaçada”, disse.

Já foram presos Bruno Luan Vasquez, Pedro Henrique Santos e Caio Ribeiro. Há apenas um foragido da Justiça, Aldair Lucas Gonçalves dos Santos. As ordens judiciais em nome deles foram expedida no dia 6 de março desse ano, pela juíza Anagali Marcon Bertazzo, da Central de Inquéritos Policiais.

O caso

O universitário Odilon Pereira Filho foi agredido após retornar do banheiro com a prima Rayssa Costa, durante uma banda de carnaval no Parque das Laranjeiras, no dia 23 de fevereiro. Momentos antes, a jovem teria sido assediada por esse grupo.

“Eu senti alguém tocando minhas nádegas, mas para evitar confusão, sai apressada em direção ao banheiro. Quando começaram as agressões, eu me joguei em cima dele (Odilon) para que eles parassem com aquilo. Queremos justiça! Contra o assédio, agressão, os crimes que esses homens cometeram!”, disse Rayssa.

Anúncio