Preso por estupros no Conjunto Ben-Hur confessa crime: “Vou pagar pelo erro que cometi”

Denny Vieira da Silva disse que estava sob efeito de drogas e estuprou uma mulher após se irritar com ela. “O cão entrou em mim e fiz o que fiz”, disse

Manaus – “Eu sei o que fiz, mas vou pagar pelo erro que cometi”. A declaração é de Denny Vieira da Silva, 30, chamado pela polícia de ‘Maníaco do Ben-Hur’, que estava sendo procurado suspeito de estuprar várias mulheres, na zona norte de Manaus. Ele foi preso, na madrugada desta terça-feira (17), em Careiro da Várzea (a 25 quilômetros a leste de Manaus).

Na Delegacia Geral (DG), na tarde desta terça-feira, Denny confessou o crime e contou que estava ‘drogado’. Ele pediu desculpas à vítima e aos familiares dela.

Homem contou que estava ‘drogado’ quando cometeu o crime (Foto: Eraldo Lopes)

De acordo com o delegado Jander Mafra, da Delegacia Especializada em Crimes contra o Idoso (DECCI), a suspeita é que, somente no mês de setembro, ele estuprou e roubou quatro mulheres. Porém, até o momento, somente duas delas compareceram à delegacia para denunciar o crime. “Pedimos que quem foi vítima dele compareça a delegacia para fazer reconhecimento”, disse Jander Mafra.

Denny disse que, no dia do crime, ele estava drogado e estava com a Bíblia na mão porque usava as folhas para enrolar cigarros de maconha. Ele contou, ainda, que abordou a mulher apenas para perguntar as horas. “Mas como ela disse que não tinha, de uma forma grosseira, o cão entrou em mim e fiz o que fiz. Depois, roubei e mandei ela ir embora”, lembrou.

De acordo com o delegado do 35ª Delegacia Regional de Polícia, David Jordão, Denny foi se esconder no Careiro da Várzea logo após ter visto sua foto divulgada em jornais de Manaus. “Ele estava na casa de amigos, que desconfiaram a atitude dele. Comunitários acionaram a polícia depois que ele começou a causar transtorno na localidade”, disse.

Denny foi indiciado por estupro e roubo. Ao término dos procedimentos cabíveis, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Anúncio