Presos mais 2 suspeitos de participarem do assalto que deixou sargento morto

Durante a madrugada desta quinta (28), outro suspeito, Moisés Mendonça Lima, 19, foi preso e confessou participação no assassinato. Polícia busca um 4º envolvido

Manaus – Antônio Carlos dos Santos Padilha, conhecido como “Júnior” ou “Cegueta”, 23, e Felipe Carvalho e Silva, 18, apontados como participantes do assalto que resultou na morte do sargento da Polícia Militar (PM) Ayub Carlos França de Araújo, 39, foram presos na noite desta quinta-feira (28), na capital. A informação foi confirmada pelo delegado Vinícius de Melo, do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Antônio Carlos dos Santos Padilha, 23, é apontado como participante do assalto que resultou na morte do sargento da Polícia Militar (PM) Ayub Carlos França de Araújo. (Foto:Jucélio Paiva/Divulgação)

Antônio foi preso em uma residência, situada na Rua Paulo Nery, na Comunidade Riacho Doce 3, bairro Cidade Nova, zona norte da capital, segundo o tenente Daniel Medeiros, da 6ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Já Felipe se entregou na noite desta quinta-feira, no 6º DIP. Segundo o delegado Vinícius Melo, foi ele que tomou a arma do sargento. Durante a madrugada desta quinta-feira, outro suspeito do crime, Moisés Mendonça Lima, 19, havia sido preso pelos policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Roçam), e confessou participação no assassinato.

Segundo a polícia, Felipe Carvalho e Silva, 18, foi quem tomou a arma do sargento. (Foto: Jucélio Paiva/Divulgação)

O sargento Ayub Carlos morreu após ser atingido com um tiro nas costas durante um assalto, na Avenida Noel Nutels, no bairro Cidade Nova, zona norte de Manaus, na noite de quarta-feira (27).

Os dois suspeitos vão passar a noite prestando depoimento no 6º DIP. A polícia agora procura o homem responsável pelo disparo que matou o sargento Ayub Carlos, identificado como “Carlos Alexandre Lopes”. “Quem apertou o gatilho foi o Carlos Alexandre. A polícia já está em área, levantando informações. Estamos na caça dele. É uma questão de honra botar esse bandido na cadeia”, disse.

Segundo o delegado Vinícius de Melo, Antônio e Felipe devem ter a prisão preventiva solicitada, para que possam seguir para um presídio da capital.

Anúncio