Presos motoristas de aplicativo suspeitos de homicídio cometido em Manaus

Dentre os presos está o ex-presidente do Sindicato dos Motorista de Aplicativo, que renunciou ao cargo para se candidatar a vereador

Manaus – Policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), estão cumprindo três mandados de prisão temporária por homicídio durante a Operação Nêmesis, na manhã desta quarta-feira (21), na zona rural da cidade de Manaus.

Presos motoristas de aplicativo suspeitos de homicídio (Foto: Natasha Pinto)

Três pessoas foram presas, dentre elas o engenheiro João Rodrigues Maciel, 33, conhecido como João dos Aplicativos, que era presidente do Sindicato dos Motorista de Aplicativo, que renunciou ao cargo para se candidatar a vereador.

O segundo foi identificado como Cleyton Augusto dos Santos, 29, e o terceiro é Kameron Braga Pereira, 21, ambos motoristas de aplicativo. Eles estão sendo acusados de matar um assaltante da categoria.

Familiares dos presos estão presentes na sede da Especializada em Homicídios e gritaram afirmando que os motoristas foram agredidos pelos policiais civis. O nome da operação Nêmesis, é o nome dado para a deusa da vingança e da justiça.

Segundo a polícia, os detidos são envolvidos no homicídio e ocultação de cadáver do adolescente Pedro Adley Fernandes,17, sequestrado e morto em junho deste ano. Na ocasião, o adolescente teria sido confundido com um assaltante de motoristas de aplicativo.

Os restos mortais do adolescente foram encontrado no final da manhã desta quarta-feira (21) no quilômetro 30, da rodovia BR-174. O encontro do cadáver foi possível com a utilização da cadela farejadora Fiona do Cip Cães.

Cadela farejadora Fiona do Cip Cães (Foto: Thiago Modesto /GDC)

Segundo o delegado titular da DEHS, Charles Araújo, os presos nesta quarta-feira (21) tem prisão temporária mas será solicitada a prisão preventiva. Ainda conforme o delegado, há pelo menos sete pessoas envolvidas no crime.

**Matéria atualizada às 17h35**

Anúncio