Presos que fugiram durante rebelião em delegacia no AM são recapturados, diz PC

Os nove presos que fugiram durante a rebelião, na manhã deste domingo, em Canutama, foram localizados com duas armas de fogo, uma espingarda e uma pistola

Manaus – Os nove presos que conseguiram fugir da Delegacia Interativa de Polícia de Canutama (a 619 quilômetros a sudoeste de Manaus), durante uma rebelião, nesta manhã, foram recapturados na noite deste domingo (4). A informação foi confirmada pela Polícia Civil (PC), por meio de assessoria de imprensa.

Com eles, foi apreendida uma espingarda p40. Durante a rebelião, segundo informações da PC, os 23 detentos da unidade fugiram mas, logo em seguida, 14 deles se entregaram. Os nomes dos detentos não foram divulgados pela PC.

Presos depredam delegacia de Canutama durante rebelião (Foto: Divulgação/PM)

Os presos atearam fogo em colchões, destruíram as celas e quebraram a vidraça da delegacia, conforme informação do tenente Laurênio Silva, comandante do batalhão da Polícia Militar (PM) em Lábrea. A rebelião iniciou por volta das 7h e foi controlada por volta das 10h, após a chegada de dez policiais militares no local, de acordo com informações do tenente Laurênio.

Leia também: Após rebelião e fuga de presos, moradores de Canutama denunciam insegurança

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) informou, por meio de nota, que uma equipe formada por policiais civis do DPI e grupo da elite Força Especial de Resgate e Assalto (Fera) e militares do Comando de Operações Especiais (COE) foram deslocados ao município para recaptura dos foragidos, verificação da ocorrência e instauração dos procedimentos cabíveis.

Reinvidicações

Segundo o tenente Laurênio Silva, a rebelião iniciou porque os presos exigiam direitos humanos, juiz, promotor no município, e também, reclamavam da comida servida na delegacia. “Souberam controlar e gerenciar a crise, e a rebelião acabou. Atearam fogo, quebraram celas e a vidraça. Mas os presos estão voltando para suas celas e o prefeito do município mandou consertá-las, soldar novamente”, disse.