Responsáveis por chacina na zona norte voltam para ameaçar sobreviventes

A avó de uma das vítimas soube que os criminosos passaram pela frente da casa e gritaram, “Ainda tem alguém vivo aí dentro dessa casa?”

Manaus – A avó de uma das vítimas da chacina na Rua Ibitita, bairro Nova Cidade, zona norte, soube que os responsáveis pelo crime passaram, ainda na noite deste sábado (16), em frente à casa onde cinco pessoas foram mortas a tiros.

“Minhas duas sobrinhas que estavam na frente da casa viram quando dois homens armados passaram numa moto e gritaram, ‘Ainda tem alguém vivo aí dentro dessa casa?'”, disse a mulher, que prefere não ser identificada. “Nessa hora elas ficaram com medo e foram embora”.

A chacina que vitimou cinco membros de uma mesma família aconteceu por volta das 20h desta sábado (16), no bairro Nova Cidade (Foto: Divulgação)

No momento da chacina, a mulher estava em um dos dois quartos da casa, cuidando de um dos netos que estava doente e que também sobreviveu. Neste domingo (17), ela voltou ao local da chacina para buscar algumas roupas para um outro neto e ressaltou que não pretende mais continuar na residência. “Não quero mais ficar aqui, não”.

Entenda o caso

A chacina que vitimou cinco membros de uma mesma família aconteceu por volta das 20h desta sábado (16), na Rua Ibitita, bairro Nova Cidade, zona norte. De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o alvo do suspeitos seria Edmundo de Jesus Roque, 23, encontrado morto dentro de um guarda-roupas.

O delegado Denis Pinho, plantonista da DEHS, contou que os supostos autores do crime realizaram a execução com o auxílio de uma motocicleta com características não informadas. Conforme o delegado, a dupla parou o veículo na parte de trás da casa para invadir o local.

“Quando chegamos, encontramos quatro vítimas mortas, do total de seis pessoas. Todas as vítimas estavam com apenas um disparo na cabeça, mas o Edmundo tinha disparo na cabeça e na região do tórax. Uma foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas morreu no hospital; e existe uma outra vítima que está no SPA do Galiléia, que foi alvejada com um tiro na cabeça. Até então aguardamos o estado de saúde dela”, informou Denis Pinho. “Algumas substâncias ilícitas foram encontradas pela Polícia Militar. A gente (PC-AM) já iniciou a apuração. Aparentemente os disparos foram de revólver calibre 38 e estamos juntando os elementos e aguardando a finalização do trabalho da perícia para iniciarmos os trabalhos da investigação”.

Anúncio