Sete são detidas tentando entrar com droga e minicelular em prisões do AM

Os objetos proibidos foram detectados durante revista pelo “body scan”, scanner corporal instalado em todas as prisões de Manaus

Manaus – Sete mulheres foram detidas, entre sexta-feira (16) e domingo (18), após tentarem entrar com droga e um minicelular nas “partes íntimas” em três prisões de Manaus, segundo informou a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Juntas, as mulheres tentaram entrar nas unidades prisionais com dois quilos de droga.

Os entorpecentes foram detectados durante revista pelo “body scan”, scanner corporal instalado em todas as prisões.

Minicelular seria entregue a presidiário dentro do Compaj (Foto: Divulgação/Seap)

De acordo com o secretário de Estado de Administração Penitenciária, coronel da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) Cleitman Coelho, as visitantes flagradas foram conduzidas a delegacias para realização do procedimento policial de flagrante.

“Entorpecentes são proibidos em unidades prisionais, e mais que isso, o porte de drogas e a tentativa de introduzir esse material nos presídios são classificados como tráfico”, disse Coelho.

Flagrantes

As duas visitantes flagradas no Centro de Detenção Provisória Masculino 2 (CDPM 2), na sexta-feira, foram: Maria das Dores Neves Dias, que iria visitar o interno Elson Lima da Costa Neto, na cela 5, pavilhão 5 inferior; e Alexandra Baia dos Santos, cadastrada como visita do detento Jeferson Soares da Costa, da cela 2 do pavilhão inferior 3. Ambas estavam com uma porção de substância entorpecente.

blank

Parte da droga colocada nas “partes íntimas” das visitantes para driblarem a revista na entrada das prisões (Foto: Divulgação/Seap)

No Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), a visitante Janaína Marinho Cardoso foi flagrada com 400 gramas de substância entorpecente enquanto entrava na prisão para visitar o presidiário Marcelo Lima Mitoso, do pavilhão 5, ala 2 da unidade.

A mesma quantidade de entorpecente estava com Nelsiane Queiroz da Silva. Ela iria visitar o companheiro Leandro Torres do Nascimento, interno do pavilhão 3, ala 2, cela 6 da unidade prisional.

Tatiana Duarte dos Santos, tentou entrar no Compaj como visita do interno Nilcélio Fonseca Garcia. Ela foi detida em flagrante com 110 gramas de droga.

Outro registro no Compaj foi de Telrimar da Silva Costa que estava com um mini celular escondido nas “partes íntimas”. O telefone tem tamanho bem inferior aos demais aparelhos à venda no mercado atual.

Ela estava cadastrada para visitar o companheiro Luís Freitas Veloso, interno do pavilhão 3, ala 1 e cela 1 da unidade prisional.

Já na Penitenciária Feminina de Manaus (PFM), no domingo, o flagrante ocorreu com a Franciane Marreira dos Santos, cadastrada como visita da interna da ala A, cela 1, Naira da Silva Marreira, irmã. Franciane estava com 75 gramas de entorpecente escondida nas “partes íntimas”.

Punição

A punição para quem é flagrado tentando entrar com materiais proibidos em prisões é a suspensão do cadastro de visita dos parentes no período mínimo de 30 dias.

Essa penalidade pode ser estendida para 90 dias ou por tempo indeterminado, se os visitantes tiverem registros de outras ocorrências com objetos ilícitos.

Os visitantes flagrados foram encaminhados aos Distritos Integrados de Polícia (DIPs) para os procedimentos cabíveis.

Alguns deles, dependendo dos casos, já ficaram detidos e foram levados para o sistema prisional.

Anúncio