SSP envia reforço policial para Parintins e Maraã

Uma equipe de investigadores e perito, comandada pelo delegado de Homicídios, Juan Valério, foi enviada para a cidade de Parintins para investigar a morte do ex-vereador Everaldo

Manaus – A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) enviou reforços policiais para as cidades de Parintins (369 quilômetros de Manaus) e Maraã (a 634 quilômetros de Manaus), na manhã desta segunda-feira (22). Em Parintins, o objetivo é investigar a morte do ex-presidente da Câmara Municipal Everaldo Batista. Em Maraã, o reforço é para conter ameaças de familiares de um traficante morto durante troca de tiros com a polícia no domingo (21).

Segundo o vice-governador e secretário de Segurança, Bosco Saraiva, os reforços devem ajudar a manter o controle nas duas cidades, que estão agitadas com as duas ocorrências.

“Lamentavelmente, em Parintins, houve a morte de um ex-vereador e para ajudar a elucidar o fato, estamos enviando reforços. Maraã é uma região que tem muita ocorrência de tráfico e pirataria e houve a morte de um traficante que resistiu a prisão e trocou tiros com a polícia. Estamos enviando as equipes para assegurar a ordem nas cidades”, disse.

Everaldo foi morto com dois tiros na casa onde morava, em Parintins (Foto: Divulgação)

Ronda

Em Parintins, a Polícia Militar está em ronda pela cidade em busca dos suspeitos, montando bloqueios em estradas, no porto e em outros canais de saída da ilha. As investigações sobre a morte serão conduzidas pelo delegado de Homicídios, Juan Valério, que seguiu para a cidade por volta das 11h. Da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), foi designada uma equipe de investigadores, delegado e perito.

Para Maraã, a SSP-AM determinou o envio de reforços da Polícia Militar e, agora pela manhã, dez policiais de Tefé chegaram à cidade para apoiar a equipe de policiais locais. No domingo, a equipe do 3º Batalhão da Polícia Militar da cidade cumpriu mandado de prisão contra cinco homens envolvidos em diversos crimes. Durante o cumprimento do mandado, houve troca de tiros com a polícia e Francisco Raliton da Costa morreu. Familiares e amigos dos outros traficantes estão ameaçando invadir a delegacia local.

Por volta das 11h, policiais civis do Grupo FERA seguiram viagem ao município da calha do Médio Solimões. Os cinco presos são apontados por envolvimento com o tráfico de drogas, porte ilegal de armas, associação criminosa, sequestro, cárcere privado, tortura, ameaça e lesão corporal.

Equipe comandada pelo delega de Homicídios, Juan Valério, embarcou, na manhã desta segunda-feira, para Parintins (Foto: Divulgação/PC-AM)