Suplente de vereador é preso suspeito de comandar organização criminosa

Robson Almeida Siqueira Filho, 33, suplente de vereador pele sigla PPL, é também policial militar e foi preso pela Polícia Civil

Manaus – O policial militar Robson Almeida Siqueira Filho, 33, o ‘Robinho’, que é 1° suplente de vereador pela sigla PPL, foi preso pela Polícia Civil (PC) por suspeita de comandar uma organização criminosa envolvida em tráfico de drogas, entre elas a sintética. Além de dele, outros três homens foram presos. Com eles foram apreendidos cerca de 300 quilos de maconha skunk, LSD, ecstasy, veículos de luxo e R$ 10 mil em dinheiro.

O diretor do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Guilherme Torres, informou que, além de Robinho, Bruno Albuquerque da Costa, 29, o ‘Pitilico’, e Alan Kennedy de Souza Nascimento, 28, foram presos por envolvimento com o tráfico de drogas e Jamesson Alves de Souza, 36, foi preso em cumprimento à um mandado de prisão.

Foto usada pelo PM nas eleições de 2016 consta no site Divulga Cand do TSE. O PM não foi apresentado pela Polícia (Foto: Reprodução)

Torres explicou que o DRCO já estava monitorando Robson há cerca de dois meses. Segundo o delegado, o grupo esbanjava dinheiro em festas, passeios de lancha e em aluguéis de casas de luxo em áreas nobre a cidade.

Envolvidos em organização criminosa foram apresentados pela Polícia Civil nesta manhã  (Foto: Raquel Miranda)

Na última terça-feira (2), o DRCO, em parceria com policiais da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) do município de Iranduba (a 27 quilômetros a sudoeste de Manaus), receberam informações de que o grupo estava com um grande carregamento de drogas.

O grupo foi interceptado na Comunidade do Jandira, segundo o delegado. Dentro do carro de Robinho, um Honda CRV roubado de São Paulo, foram encontradas uma cartela de ecstasy, 30 comprimidos de LSD e uma porção de cocaína. Além da droga, foi apreendido, ainda, uma lancha.

Drogas sintéticas foram encontradas em casa de luxo no Conjunto Morada do Sol (Foto: Raquel Miranda)

Após a prisão, a polícia foi até uma casa, na Rua Estrela D’Ávila, no Conjunto Morada do Sol, no bairro Adrianópolis, zona centro-sul, alugada por R$ 3 mil, onde foram apreendidos os 300 quilos de skunk, e o carro de Alan, um Jeep SUV. No local havia uma máquina usada para fabricar droga sintética.

Após a prisão, segundo o delegado, Robinho deu várias versões a polícia. “Uma delas era de que estava de férias, a outra era de que estava investigando o tráfico de forma velada, mas nenhuma delas fez muito sentido”, destacou Torres.

Robinho foi autuado por tráfico de drogas, associação para o tráfico e receptação e, ainda, adulteração de sinal identificador de veículos. Bruno e Alan foram autuados por tráfico e associação para o tráfico. O PM suplente já foi encaminhado ao Batalhão de Guardas da Polícia Militar. Os demais serão levados para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

(Foto: Raquel Miranda)

Anúncio