Suspeitos de agredir jovem em banda serão reconhecidos por fotos para inquérito

Segundo a Polícia Civil, todos os vídeos feitos sobre o caso serão analisados. Jovem foi agredido na segunda-feira (24) ao tentar defender a prima de assédio

(Foto: Reprodução)

Manaus – A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) investiga o caso do jovem de 20 anos que foi agredido ao defender a prima de um assédio, durante um bloco de carnaval, na última segunda-feira (24), no bairro Parque das Laranjeiras, zona centro-sul de Manaus. As vítimas, Odilon Pereira Filho, 20, e Rayssa Costa, 21, deverão reconhecer os suspeitos por meio de fotografias.

De acordo com o delegado Rafael Allemand, titular do 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), todos os vídeos feitos e entregues à polícia serão analisados. “Perguntei formalmente se eram todos aqueles agressores que apareciam no vídeo e eles (Odilon e Rayssa) confirmaram. Agora (os suspeitos) serão reconhecidos fotograficamente para registrar nos autos”, explicou o delegado.

O caso foi registrado como lesão corporal e importunação sexual, mas, após as investigações, pode ser revertido para tentativa de homicídio. “Inicialmente, apenas pela análise do vídeo, as agressões são brutais. Dá para entender que há algo mais grave que uma lesão corporal”, acrescentou o delegado.

O caso

O universitário Odilon Pereira Filho foi agredido após retornar do banheiro com a prima Rayssa Costa. Momentos antes, a jovem foi assediada por um grupo de homens.

“Eu senti alguém tocando minhas nádegas, mas para evitar confusão, sai apressada em direção ao banheiro. Quando começaram as agressões, eu me joguei em cima dele (Odilon) para que eles parassem com aquilo. Queremos justiça! Contra o assédio, agressão, os crimes que esses homens cometeram!”, disse Rayssa.

Em vídeo divulgado nas redes sociais é possível acompanhar a ação criminosa do grupo contra o universitário.

Anúncio