Trio matava em Manaus a mando de facção e se escondia no interior, diz polícia

A polícia prendeu dois homens e apreendeu um adolescente, nesta sexta, no momento em que eles chegavam na capital, no Porto. Um deles trabalhava para duas facções

Manaus – Kennedy Silva Ribeiro, 21, Caio César Pereira dos Santos, 28, foram presos e um adolescente de 17 anos foi apreendido, no início da manhã desta sexta-feira (31), no Porto de Manaus, em uma embarcação que vinha do município de Tapauá (a 449 quilômetros de Manaus). De acordo com o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), o trio é suspeito participar execuções ordenadas pela facção criminosa Comando Vermelho (CV). Kennedy, segundo a polícia, trabalhava para o CV e para a rival, Família do Norte (FDN).

O caso foi apresentado, nesta sexta-feira, no Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Foto: Sandro Pereira)

O diretor do DRCO, delegado Juan Valério, informou que o trio já estava sendo investigado pela equipe policial. “Eles possivelmente iriam cometer crimes na cidade contra a facção rival, no caso a FDN, inclusive eles falam isso em depoimento. Chegamos a conclusão de que eles são pistoleiros do Comando Vermelho, vinham para Manaus, cometiam os crimes e depois voltavam para o interior, onde ficavam escondidos”, explicou o delegado.

O barco em que o trio estava foi interceptado pelos policiais e com eles foram apreendidas duas pistolas, consideradas pelos policiais específicas para o uso de execuções. Kennedy e Caio foram autuados em flagrante por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Ambos já têm passagem pela polícia por tráfico de drogas e serão encaminhados para audiência de custódia, ainda na tarde desta sexta-feira. Já o adolescente vai responder pelo ato infracional de porte irregular de arma de fogo e será encaminhado à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai).

Agente duplo

Segundo informações do diretor do DRCO, Kennedy é pistoleiro do Comando Vermelho, mas também passava informações para membros da FDN. “Nós encontramos no celular dele diversas fotos de armas, valores, e ele ficava passando essas informações para os traficantes da FDN, que é na área onde mora, no Campos Sales, onde atua o tráfico da FDN”, diz Juan Valério.

Segundo a PC, Kennedy é pistoleiro do Comando Vermelho, mas também passava informações para membros da FDN (Foto: Sandro Pereira)

Questionado sobre a função dupla, o suspeito negou e afirmou ser integrante apenas da facção criminosa CV. “Eu sou fechado com o Comando Vermelho, isso que disseram aí é mentira. Eu sou do Comando Vermelho”, afirmou o suspeito.

Agora, as investigações vão seguir em conjunto com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) para saber quantos e quais homicídios o trio tem participação.