Uma pessoa morre e três ficam feridas após tentativa de invasão à delegacia de Caapiranga

Segundo o delegado-geral da PC, Mariolino Brito, mais de 200 pessoas tentaram invadir a 32ª DIP, após a prisão de dois homens e uma mulher, suspeitos do desaparecimento e morte de um jovem, morador do município

Manaus – Uma tentativa de invasão a 32ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Caapiranga (a 134 quilômetros a oeste de Manaus) terminou com uma pessoa morta e, pelo menos, mais três feridas, na tarde desta quarta-feira (22), no município. A informação foi confirmada pelo delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), Mariolino Brito.

Uma tentativa de invasão à delegacia de Caapiranga deixou uma pessoa morta e, pelo menos, mais três feridas, na tarde desta quarta-feira (22). Foto: (Reprodução)

Em vídeos publicados em uma rede social por moradores da cidade, é possível ver uma mulher correndo suja de sangue, após ter sido ferida por um dos disparos, além da população jogando pedras e paus contra a delegacia, e ouvir o barulho dos tiros.

Conforme o delegado Mariolino Brito, até a noite desta quarta-feira pelo menos dez policiais civis continuavam dentro da delegacia, por conta da situação tensa na cidade. Cerca de 20 policiais militares do Batalhão de Choque, além de policiais civis do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (FERA), e a tropa de elite da PC, foram deslocados para controlar a situação em Caapiranga. PM’s de Manacapuru (a 68 quilômetros a oeste de Manaus) também foram enviados para o município.

Segundo o delegado-geral da PC, mais de 200 pessoas tentaram invadir a 32ª DIP, após a prisão de dois homens e uma mulher, suspeitos do desaparecimento e morte de um jovem, morador do município. Os comunitários teriam atirado contra os policiais, que reagiram, segundo o delegado Mariolino Brito. “Prendeu e a comunidade foi lá fazer justiça com as próprias mãos, e atirou na polícia que estava na delegacia e o pessoal teve que revidar”, disse.

O morador que morreu durante a confusão foi identificado, até o momento, apenas como “Carlinhos”. Por telefone, um morador de Caapiranga, que teve o nome preservado, relatou a REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) que a população se revoltou, após descobrir que uma mulher, identificada como ‘Pingo’, que seria envolvida com o tráfico de drogas no município, teria comandado o sumiço e a morte do jovem identificado, até o momento, apenas como ‘Cosme Benício’.